Cardeal José Policarpo diz que Portugal só teria dinheiro para mês e meio sem ajuda externa

Cardeal pede soluções à oposição.

Uma fotomontagem de José Policarpo, em que este aparecia despido, foi publicada por um grupo de piratas informáticos
Foto
Uma fotomontagem de José Policarpo, em que este aparecia despido, foi publicada por um grupo de piratas informáticos

O cardeal José Policarpo afirmou neste domingo em Setúbal que Portugal só tem dinheiro para mês e meio em caso de incumprimento das metas estabelecidas no pedido de resgate e acusou a oposição de não apresentar soluções.

"Parece que ninguém sabe que Portugal está numa crise e dá a ideia que todos reagem como se o estado pudesse satisfazer as suas reivindicações", disse o patriarca emérito de Lisboa, mostrando-se convicto de que o governo não tem condições para satisfazer as reivindicações dos sindicatos e partidos da oposição.

"Não encontrei ninguém das oposições - todas elas - que apresentasse soluções. E se falhasse este mecanismo da economia liberal [apoio financeiro no âmbito do pedido de resgate], Portugal só teria dinheiro para mês e meio", frisou, acrescentando que, nesse cenário, "não haveria dinheiro para pagar salários e pensões".

O cardeal José Policarpo falava a cerca de duas centenas de pessoas na Conferência "Caridade é a fé em acção", promovida pelo Secretariado da Acção Social e Caritativa da Diocese de Setúbal, integrada nas celebrações do Ano da Fé.

"Se todos pusessem em primeiro lugar o bem comum e fizessem qualquer coisa que ajudasse a resolver o problema, estou convencido de que isto nos custava metade do preço e do sofrimento", disse, acrescentando que estamos todos a pagar os erros cometidos com a especulação financeira em prejuízo das economias ocidentais.