Sindicato repudia ameaças de Jardim a jornalistas da RTP-Madeira

O presidente do governo madeirense ameaçou pôr “tudo para o olho da rua” quando o centro da televisão pública for regionalizado.

Alberto João Jardim
Foto
Governo Regional da Madeira poderá ser obrigado a vender o Jornal da Madeira. Adriano Miranda

O Sindicato dos Jornalistas manifesta "o mais vivo repúdio" sobre o facto do presidente do governo regional da Madeira ter ameaçado quarta-feira, num acto oficial público, os jornalistas ao serviço da RTP na região de serem postos no “olho da rua”.

“A forma desprimorosa e até ofensiva com que Alberto João Jardim se refere a jornalistas – e a personalidades da vida pública madeirense e nacional – já não surpreende ninguém. Mas continua a ser inaceitável e justifica o mais vivo repúdio”, diz  Sindicato dos Jornalistas (SJ), acrescentando que “por maior que seja a discordância quanto ao acompanhamento jornalístico e aos critérios editoriais dos órgãos de informação, não pode simplesmente usar tais termos e muito menos proferir ameaça”.

Segundo o SJ O  SJ as ameaças de Jardim constituem uma “verdadeira coacção sobre os jornalistas ao serviço da RTP, especialmente os responsáveis editoriais”, sobretudo tendo em conta o processo de reestruturação da empresa Rádio e Televisão de Portugal (RTP) e quando existe o risco de o governo central vir a entregar ao governo regional poderes sobre a RTP-Madeira.

Tais ameaças, adianta, constitui "um indício muito grave de que Alberto João Jardim não hesitará em encetar despedimentos punitivos se algum dia lhe for entregue poder sobre a empresa no plano regional".

Manifestando a sua "solidariedade para com os jornalistas na RDP-Madeira e na RTP-Madeira, bem como a todos os profissionais que exercem a sua profissão naquela região", o SJ "apela ao ministro-adjunto e do Desenvolvimento Regional [Poiares Maduro] para que trave qualquer intenção de regionalização da empresa RTP e exorta o Parlamento a não permitir o desmantelamento da RTP nem a alienação do controlo dos centros regionais".

Jardim, ao ser abordado por dois cidadãos no decurso de uma visita a uma obra de canalização de uma ribeira, no Curral das Freiras, realizada na quarta-feira, recomendou-lhes: “Falem com os comunas da televisão, que eles põem tudo. Puseram um vigarista à frente daquilo. Isso é para resolver a seguir com o Maduro: Tudo para o olho da rua”.

Momentos depois, o governante madeirense acusou os jornalistas da RDP e da RTP ali em reportagem, de não estarem a ser isentos na cobertura das eleições. “Alguém mandou, vão sofrer todos as consequências”, ameaçou.

 

Sugerir correcção