Durão Barroso: crise política teve "custo bastante sério" para a credibilidade de Portugal

Durão Barroso apelou a que as religiões promovam a solidariedade em tempo de crise
Foto
Durão Barroso apelou a que as religiões promovam a solidariedade em tempo de crise Foto: AFP

O presidente da Comissão Europeia afirmou nesta quarta-feira que a crise política em Portugal no início do Verão teve "um custo bastante sério em termos de credibilidade", salientando que é importante "não abrandar esforços" para a recuperar.

"É aí que estamos a tentar ajudar, como é que se pode garantir a execução do programa, como é que Portugal pode manter a credibilidade apesar da crise política, que, com certeza, teve um custo, essa crise política teve um custo bastante sério em termos da credibilidade da aplicação do programa", referiu José Manuel Durão Barroso.

As afirmações do chefe do executivo comunitário foram proferidas num encontro com jornalistas portugueses em Estrasburgo, à margem dos trabalhos do Parlamento Europeu, onde esta manhã decorreu o debate sobre o Estado da União.

O líder da Comissão Europeia considerou que o país conseguiu "já em grande medida recuperar" credibilidade, mas sublinhou que é importante "não abrandar esforços" para "ganhar a credibilidade que é necessária para terminar o programa [de ajustamento] com sucesso".

"O que querem saber os investidores em geral é se Portugal vai ou não cumprir os objectivos com que se comprometeu, este é o ponto essencial, não é tanto aquilo que possa ser decidido agora por esta ou aquela instância", afirmou, a propósito de uma eventual tentativa do Governo português de renegociar as metas do défice para este ano (de 4,5% para 4%).