Toxicodependentes não foram retirados durante incêndio na Madeira

Director da unidade já pediu a demissão.

Os doentes internados na ala de toxicodependentes do Hospital dos Marmeleiros, na Madeira, não, foram, ao contrário dos outros doentes, retirados durante o incêndio que se aproximou da unidade hospitalar durante o fim-de-semana, noticiou esta noite a RTP.

Segundo o canal público, os psiquiatras que trabalham no serviço ficaram revoltados e o chefe do serviço, Ricardo Alves, pediu a demissão.

Miguel Ferreira, que dirige o serviço Regional de Saúde, confirmou à RTP que os toxicodependentes foram deixados no local, alegando que se encontravam no edifício novo, um espaço com isolamento à entrada de fumo.

Este responsável disse ainda que os internados na ala de toxicodependentes tinham mobilidade caso a situação se agravasse, ao contrário dos doentes que estavam no edifício velho, na sua maioria idosos e com pouca mobilidade.

Ainda segundo a RTP, na altura do incêndio as autoridades revelaram que todos os doentes tinham sido retirados.