Teatro Gil Vicente, em Barcelos, reabre dentro de um mês

As obras finais no Teatro Gil Vicente, em Barcelos, que permitirão a sua reabertura ao fim de duas décadas, começaram hoje e deverão estar concluídas num prazo de 30 dias, anunciou o município.

Orçadas em 150 mil euros, estas obras incluem um conjunto de trabalhos relacionados com o sistema de segurança contra incêndios, como portas corta-fogo, sem os quais a Inspecção-geral de Actividades Culturais "não autoriza" a abertura do teatro.

"Foi feita uma vistoria ao teatro que chumbou a sua abertura", referiu o presidente da câmara, Miguel Costa Gomes.

Paralelamente, a autarquia já aprovou uma alteração simplificada ao Plano Director Municipal (PDM) para ultrapassar o facto de, com as obras de reconstrução, o teatro ter ficado com mais seis metros de altura do que o que estava no estudo prévio e no projecto de execução da obra.

Em causa está a torre de palco, que permite a mudança rápida de cenários.

Hoje também avançou a empreitada de requalificação do largo envolvente ao teatro, adjudicada por 125 mil euros.

Segundo fonte municipal, a requalificação do Largo Martins Lima vai permitir prolongar e "estender para a rua" o espaço cultural do Teatro Gil Vicente, através da criação de uma área de palco, fixa e de pequenas dimensões, e do prolongamento do café/concerto de que o teatro vai dispor no seu interior.

As obras de recuperação do Teatro Gil Vicente foram lançadas em 2004, pelo valor de 2,5 milhões de euros, e deveriam durar um ano.

Em 2008, foi lançada uma segunda fase, orçada em 900 mil euros.

Datado de 1903, o teatro foi adquirido pela Câmara de Barcelos a uma construtora em 1994, por 750 mil euros.

Com o projecto de recuperação, ficará com uma sala para cerca de 300 pessoas.