Manifestantes pedem demissão do Governo à porta do hotel onde Passos e Portas estiveram reunidos

Carro do líder parlamentar do PSD foi cercado pelas pessoas que protestavam.

Foto

Cerca de 30 pessoas estiveram concentradas neste sábado junto a uma das entradas do Hotel Tivoli, em Lisboa, onde o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, e o líder do CDS-PP, Paulo Portas, estiveram reunidos, exigindo a demissão do Governo.

O carro do líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro, acabou por ser cercado pelos manifestantes, quanto abandonava o local, mas sem consequências.

Os manifestantes seguraram uma faixa onde podia ler-se "Obviamente, estão demitidos!" e uma outra, mais pequena, em que estava escrito "Fora", com os rostos de Passos Coelho e Passos Portas desenhados.

O pendão mais pequeno estava identificado como pertencendo ao Movimento 15 de Outubro.

Os manifestantes gritaram palavras de ordem como "demissão", "Coelho sai da toca" e "Fora já daqui, o Passos, o Portas e o FMI".

Outra das frases utilizadas foi "Passos ladrão, o teu lugar é na prisão".

Os manifestantes estiveram concentrados junto a uma saída lateral para viaturas do hotel onde Passos Coelho e Paulo Portas estiveram reunidos e onde o primeiro-ministro leu uma declaração sobre a proposta de governo apresentada ao Presidente da República.

O protesto durou cerca de 20 minutos, tendo os manifestantes desmobilizados pouco depois das 20h.

Durante o protesto cinco polícias guardaram o portão da entrada para o hotel.