Merkel: crise não vai atirar nenhum país para fora do euro

Chanceler alemã defende que a saída da crise será um processo longo, mas não implicará a saída de Estados-membros da moeda única.

Angela Merkel defende que a crise não se vai resolver de um dia para o outro
Foto
Angela Merkel defende que a crise não se vai resolver de um dia para o outro MICHAEL KAPPELER/AFP

Angela Merkel foi peremptória. Numa entrevista à agência noticiosa alemã DPA frisou que não imagina que a situação económica da Europa se possa degradar ao ponto de fazer sair algum país da zona euro.

“Sempre disse que a crise da dívida na Europa não vai resolver-se com medidas decididas numa noite. Será um processo longo, feito de numerosas etapas e iniciativas. Já avançámos muito, mas ainda restam muitos problemas para resolver”, disse.

A chanceler alemã recusou o fim do euro em alguns Estados-membros, defendendo que é preciso haver melhorias conjuntas.
“Temos de melhorar juntos e para isso é preciso ter a Europa no seu todo”, acrescentou.

As declarações de Merkel seguem-se às do seu ministro das finanças, Wolfgang Schäuble que, quinta-feira, disse não acreditar que a crise política instalada em Portugal  - depois da demissão dos ministros Vítor Gaspar e Paulo Portas - voltasse a afundar a zona euro.

“Penso que o euro é de novo visto pelos mercados como suficientemente estável e a situação política de um único país não significa uma crise na estabilidade da moeda única”, disse Schäuble.
 

 

Sugerir correcção