Rui Rio acusa Governo de querer matar reabilitação urbana do Porto

O presidente da Câmara do Porto fez este sábado um violento ataque ao Governo.

Rio mobilizou notáveis do Porto
Foto
Rio mobilizou notáveis do Porto Nelson Garrido

Rui Rio acusa Governo de querer “matar” o projecto da Sociedade de Reabilitação Urbana - “Porto Vivo” e de “estar a trair os investidores” que acreditaram na recuperação da Baixa.

“A Baixa do Porto tem uma utilidade e vamos matar este projecto, traindo os investidores. Isto é algo de impossível”, indignou-se Rui Rio.

Em declarações aos jornalistas, no final da reunião, que juntou mais de uma centena de personalidades da cidade, que subscreveram a Carta Aberta do Governo de Portugal que o presidente da Câmara do Porto promoveu em defesa da Sociedade de Reabilitação Urbana (SRU), o autarca social-democrata disse que a SRU é um “projecto completamente vital” para a cidade e que o Governo (Estado) tem de assumir as suas responsabilidades, pagando a sua parte, 2,4 milhões de euros

“A atitude do Governo é incompreensível”, criticou Rui Rio, frisando que a “reabilitação da Baixa é fundamental como promotor de emprego e do turismo”.

“Na história da cidade não me lembro de ver um Porto unido desta forma tão transversal”, evidenciou Rio, vincando que “todos os sectores da cidade, os principais empresários, os antigos presidentes da Câmara do Porto e antigos reitores da Universidade do Porto vivos estão completamente unidos, repudiando a actuação do Governo contra a SUR”.

“Chega a ser emocionante esta mobilização e espero que o Governo compreenda a grandeza desta iniciativa”, destacou o autarca do PSD.

Rio explicou que a carta aberta, que vai seguir agora para o Governo e para o Presidente da República, tem o “contributo de muitos notáveis” da cidade e revelou que o seu envolvimento nesta luta tem a ver com os portuenses que votaram nele ao longo de três mandatos consecutivos, afastando que esta iniciativa se deva a quaisquer fidelidades partidárias.

“A mobilização é em primeiro lugar com aqueles que me elegeram; é a defesa do Porto e de Portugal, depois é que podem vir as fidelidades”, disse o autarca social-democrata, revelando ser fiel com quem o elegeu.

Contra o “fraco sentido de responsabilidade” do Governo e a sua “notória falta de respeito pelo Porto”, Rui Rio escreveu uma carta aberta ao Governo em defesa da Sociedade de Reabilitação Urbana e exigindo o pagamento por parte do Estado de 2,4 milhões de euros.

O autarca acusa o Governo de não pagar desde 2009, o montante das contribuições devidas à Porto Vivo, de “há mais de um ano” arrastar a recomposição do conselho de administração e de votar contra todas as decisões, incluindo as contas de 2012, da assembleia geral anual, realizada em meados de Abril.

Os signatários são de origens e percursos partidários diferentes. De Alberto Amaral, antigo reitor da Universidade do Porto, a Valente de Oliveira, professor e antigo ministro de Cavaco Silva, a carta surgiu assinada por 53 personalidades, mas já conta com mais de 130.