Jorge Jesus: "Não sentimos que o jogo da Madeira seja de título"

Treinador do Benfica fala em "jogo importante" frente ao Marítimo, mas quer tirar pressão de cima dos jogadores.

Jorge Jesus no jogo com o Marselha
Foto
Jorge Jesus no jogo com o Marselha Foto: Fabrice Coffrini/AFP

Às portas do jogo que fecha a 27.ª jornada, o treinador do Benfica optou por desvalorizar a importância do encontro com o Marítimo. Para voltarem a ter uma vantagem de quatro pontos sobre o FC Porto, as "águias" terão de vencer na Madeira, mas o técnico não quer colocar demasiada pressão sobre os ombros dos jogadores.

"Cada vez mais os jogos vão ser mais importantes e é evidente que as margens favoráveis começam a escassear. Não sentimos que o jogo da Madeira seja de título, mas sentimos que é uma partida muito importante como foi a do Sporting. Mantendo os quatro pontos de vantagem vamos tendo um crédito melhor e mais segurança para os jogos que vêm aí", afirmou Jorge Jesus, durante a conferência de imprensa de antevisão da partida.

O técnico do Benfica tem gerido a condição física dos jogadores em função da importância das provas e deixa a porta aberta e eventuais surpresas no jogo de segunda-feira. "Os jogadores dão-nos sinais da sua condição física e é por aí que temos de julgar e tomar decisões e, às vezes, podemos surpreender na convocatória ou na escolha de um jogador. É dentro disto que vamos ter de tomar decisões que se calhar ninguém espera", revelou.

Menos importância deu Jesus às arbitragens e às críticas do Sporting a João Capela, na sequência do derby da passada jornada. "Como treinador tenho tanta coisa com que me preocupar, que nem tenho tempo. Só tenho tempo para pensar em recuperar a equipa, montar estratégias para os jogos que temos. Não tenho tempo para outras coisas que não têm a ver com os nossos objectivos", afirmou.