CDS aprova por unanimidade apoiar Rui Moreira ao Porto

Centristas rompem coligação com PSD ao fim de 12 anos.

Rui Moreira na apresentação da sua candidatura
Foto
Rui Moreira na apresentação da sua candidatura nfactos/Fernando Veludo

O CDS vai apoiar a candidatura independente de Rui Moreira à Câmara do Porto nas eleições autárquicas deste ano.

A decisão foi tomada nesta quinta-feira à noite num plenário de militantes, promovido pela concelhia do CDS/Porto. Os militantes votaram por unanimidade mandatar a estrutura concelhia para encetar as negociações com a candidatura de Rui Moreira, segundo adiantou ao PÚBLICO fonte democrata-cristã.

Ao fim de 12 anos de coligação com o PSD na Câmara do Porto, o CDS rompe o entendimento político com os sociais-democratas e recusa apoiar a candidatura do social-democrata, Luís Filípe Menezes, à Câmara do Porto.

Desde o início que o CDS disse que não apoiaria Menezes por discordar do seu modelo de gestão autárquica, que o partido de Paulo Portas considera completamente oposto ao de Rui Rio, que apoiou ao longo de três mandatos consecutivos.

Desta vez, os democratas-cristãos dão o seu apoio ao independente Rui Moreira, amigo pessoal de Paulo Portas. O líder da concelhia do CDS do Porto, Pedro Moutinho, teve um papel essencial na aproximação a Rui Moreira, mas a sua intervenção foi sempre discreta, terminando agora com o apoio oficial do partido ao empresário e presidente da Associação Comercial do Porto.

No plenário de militantes, no qual participaram cerca de meia centena de pessoas, esteve também presente Álvaro Castello Branco, actual presidente da distrital do CDS, e que foi o mentor da coligação com o PSD de Rui Rio que dura há 12 anos.

Rui Moreira sempre disse que só estaria disponível para protagonizar uma candidatura independente, mas nunca fechou a porta a eventuais apoios de partidos políticos, se esse fosse o entendimento das forças políticas.

No decurso das conversações entre no CDS e Rui Moreira nem tudo foi fácil. Houve avanços e recuos, precisamente porque o presidente da Associação Comercial do Porto nunca se desviou do seu objectivo: apresentar-se aos portuenses com um projecto independente.