Consumidores no mercado livre de electricidade mais do que triplicaram no último ano

O número de consumidores no mercado livre de eletricidade mais do que triplicou em Fevereiro em relação ao período homólogo do ano anterior, tendo atingido os 1,44 milhões de clientes, de acordo com a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE).

Foto
Conjunto de situações detectadas pela ERSE prevê sanções que oscilam entre os 2% e os 10% do volume de negócios Manuel Roberto

 

Nos 12 meses entre Fevereiro de 2012 e o mesmo mês deste ano, o número de consumidores no mercado livre passou dos 466 mil para 1,44 milhões de clientes, elevando o peso do mercado livre dos 52,5 para os 63,4% do consumo total. Já o consumo no mercado livre aumentou cerca de 15,1% em Fevereiro face ao mesmo mês de 2012.

De acordo com a ERSE, apesar do crescimento “muito visível” do consumo doméstico de electricidade no mercado livre, este é ainda de cerca de 24% do total, sendo a quase totalidade de grandes consumidores.

Ainda assim, refere que “no segmento de grandes consumidores, existem 19 clientes que ainda se encontram no mercado regulado e que representam cerca de 2,8% do consumo do segmento”.

No mês Fevereiro, a EDP Comercial continuou a ser o principal operador no mercado livre, quer em número de clientes (cerca de 82% do total de clientes), quer em consumos (cerca de 43% dos fornecimentos no mercado livre), tendo ainda consolidado a sua posição face a Janeiro, com um aumento de quota em cerca de 0,7% e 1,9%, respetivamente.

Relativamente ao número de clientes, não ocorreram grandes alterações nas quotas entre Janeiro e Fevereiro, sendo a maior variação a registada pela Endesa que vem perdendo quota desde abril de 2012, com um decréscimo de 0,5 pontos percentuais absorvida na totalidade pela EDP, juntamente com a da Galp, que viu diminuir a sua quota em 0,1 pontos percentuais, lê-se no relatório do regulador do mercado.

O processo de liberalização do mercado retalhista de energia elétrica está em período de transição, com a liberalização plena a ocorrer no final de 2015.

Sugerir correcção
Comentar