Antigos trabalhadores da Rohde baixam preço de venda da fábrica

Cerca de 600 ex-trabalhadores decidiram hoje descer o preço do equipamento fabril.

Trabalhadores da Rohde em assembleia de credores em 2009
Foto
Trabalhadores da Rohde em assembleia de credores em 2009 Nelson Garrido

Cerca de 600 ex-trabalhadores, do total de 948 operários que ficaram sem emprego quando a fábrica fechou, em Maio de 2010, reuniram-se hoje, no cineteatro da Feira, e decidiram baixar o preço inicial pedido pelo complexo industrial de 6,9 para 5,3 milhões de euros. A administradora da insolvência vai agora proceder aos devidos anúncios de venda.

A coordenadora do Sindicato do Calçado dos Distritos de Aveiro e Coimbra, Fernanda Moreira, refere ao PÚBLICO que qualquer proposta que seja apresentada por um valor inferior será devidamente analisada pelos ex-trabalhadores, os principais credores da fábrica que chegou a ser a maior empregadora do sector do calçado do país. A responsável acrescenta que a Segurança Social já adiantou um total de oito milhões de euros através do fundo de garantia salarial, atribuindo, em média, cerca de oito mil euros a cada trabalhador.

O complexo industrial da Rohde é constituído por 10 pavilhões, alpendre, edifício com cave e rés-do-chão para dormitório e logradouro, num total de 19.738 metros quadrados de área coberta. Em Dezembro de 2011, as instalações da fábrica foram colocadas à venda, mas até ao momento não foi apresentada qualquer proposta formal de compra. Nessa altura, os interessados podiam apresentar propostas com um valor mínimo de 70 por cento da quantia estipulada.