Número de diabéticos em Portugal ultrapassa um milhão

Dados preocupantes, embora amputações estejam em queda. Na maior parte dos países desenvolvidos, diabetes já é a quarta principal causa de morte.

Foto
Daniel Rocha

O número de pessoas com diabetes em Portugal ultrapassou pela primeira vez a fasquia de um milhão em 2011, mas este foi o ano, na última década, em que se observou a maior queda no total de amputações, uma das principais complicações decorrentes desta doença.

Em síntese, é um quadro simultaneamente mau e bom o que surge no relatório Factos e Números da Diabetes, que vai ser apresentado nesta terça-feira em Lisboa e que foi hoje parcialmente divulgado à comunicação social.

Comecemos pelo lado mau: o número de novos casos diagnosticados de diabetes não para de aumentar em Portugal, a prevalência também (estima-se que atinja 12,7% da população entre os 20 e os 79 anos) e continua a ser substancial a percentagem de doentes ainda não diagnosticados no país (44%).

Um outro indicador, disponibilizado pela primeira vez no relatório do Observatório Nacional da Diabetes, indica que os diabéticos perdem, em média, sete anos de vida (óbitos na população com menos de 70 anos). Outro dado preocupante é o da incidência da diabetes tipo 1 nas crianças e nos jovens - em 2011, registaram-se mais de 3 mil casos em jovens até aos 19 anos.

A boa notícia é que, apesar destes dados “preocupantes”, em simultâneo “há sinais de que o sistema de saúde tem conseguido uma evolução positiva de algumas complicações associadas à doença, nomeadamente no que se refere à redução das amputações e à melhoria dos registos nos cuidados de saúde primários”, destaca o Observatório, notando que em 2011 se registou a maior queda do número de amputações da última década, menos 11%.

Na maior parte dos países desenvolvidos, a diabetes já é a quarta principal causa de morte e, de acordo com a Organização Mundial de Saúde, poderá conduzir no futuro a uma redução da esperança média de vida, pela primeira vez em 200 anos.