Fernando Gomes: “Que aprendam alguma coisa com os dados a que tiverem acesso”

O presidente da FPF lamenta o assalto de que o organismo foi alvo, mas diz que não se deixa intimidar.

http://www.youtube.com/watch?v=PqI-Q5_vGKg

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) foi alvo de um assalto, no qual desapareceram os computadores do presidente, Fernando Gomes, e da sua assistente. Em declarações reproduzidas na página oficial da FPF na Internet, o dirigente diz que não se deixa intimidar e que continuará a trabalhar em prol do futebol português.

“É naturalmente uma grande tristeza verificar o nível a que alguém terá descido para me tentar atingir ou intimidar. Mas estou tranquilo, perfeitamente à vontade, porque quem tiver acesso aos dados do meu computador apenas vai encontrar um trabalho sério, rigoroso e transparente”, afirmou Fernando Gomes, acrescentando: “Aconselho-os até a que aprendam alguma coisa com os dados a que tiverem acesso. Que é possível realizar projectos e trabalhar bem de forma honesta, honrada e eficaz, sem ser preciso recorrer a esquemas como este assalto que foi realizado”.

O presidente da FPF diz também que este assalto não o fará desviar-se dos objectivos que o levaram à presidência do organismo que tutela o futebol português. “Não sei, nem me interessa, quem terá encomendado este crime. Mas posso dizer a essas pessoas que o fizeram que as estratégias de intimidação ou tentativas de me desviar do meu objectivo de lutar por um futebol cada vez melhor não surtirão qualquer efeito”.

“Que fique bem claro: continuarei o meu caminho, sem qualquer hesitação, como o tenho feito, em prol do desenvolvimento do futebol português. Não me irei desviar um milímetro que seja dos objectivos com que me apresentei às eleições para a Federação Portuguesa de Futebol. E continuarei a esforçar-me para que tenhamos um futebol cada vez mais competitivo, mais saudável sob todos os pontos de vista. É isto que norteou a minha candidatura, é isto que vou fazer relativamente ao futuro”, concluiu Fernando Gomes.
 

Sugerir correcção