Perfil de Ana Rita Gomes Barosa

Licenciada em Economia pela Universidade Nova de Lisboa, Ana Rita Barosa, de 43 anos, assume-se como uma profissional com um perfil essencialmente técnico, especializada nas áreas financeira e de gestão da poupança e com uma grande experiência profissional no sector bancário e de gestão de activos, indicou em comunicado o gabinete do ministro adjunto e dos Assuntos Parlamentares.

“Entre 2004 e 2013, foi administradora de diversas empresas do Grupo Banco Espírito Santo, Banco BEST, SA, ES PLc (Irlanda), ESAF – Espírito Santo Activos Financeiros, SGPS, SA, ESAF – Espírito Santo Fundos de Investimento Mobiliário, SA, ESAF – Espírito Santo Gestão de Patrimónios, SA, Capital Mais Assessoria Financeira, SA, ESAF – Espírito Santo Participações Internacionais, SGPS, SA.”, lê-se no documento.

Iniciou a sua carreira profissional no BPA – Banco Português do Atlântico, onde exerceu funções nas áreas comercial e financeira até 1996, passando nesse ano a integrar o departamento financeiro do Banco Espírito Santo.

Aí, desempenhou funções de direcção, com responsabilidades na gestão das actividades de negociação de Obrigações e Produtos Derivados, incluindo a execução de operações de emissão de dívida nos mercados internacionais pelo BES, responsabilidades na gestão dos Gabinete de Gestão de Activos/Passivos e Gabinete de Análise de Risco.

A experiência adquirida nesse cargo levou ao convite para liderar a criação da divisão de Estruturação e Securitização de Crédito, para definir e gerir toda a oferta de crédito a empresas e institucionais e potenciar a respectiva capacidade de securitização em mercados internacionais.

Entre as suas responsabilidades, incluíam-se igualmente a análise de operações de crédito estruturado e apoio a clientes institucionais na concepção e desenvolvimento de soluções de financiamento e a definição de oferta e portefólios de crédito com objectivo de securitização, refere a mesma fonte.

Foi também responsável pela gestão de toda a oferta de produtos de poupança do Banco Espírito Santo (BES Portugal e Internacional), incluindo as componentes qualitativas e quantitativas da oferta de produtos de balanço, banca seguros, fundos de investimento e outros, correspondendo a uma carteira total de poupança de 50 mil milhões de euros.

“No domínio da gestão da área de poupança, foi ainda responsável pelo lançamento de abordagens pioneiras destinadas a alargar os conceitos e alternativas de poupança a novos aforradores, nomeadamente aforradores de menores rendimentos, adaptando as soluções de poupança a um contexto económico difícil”, segundo o gabinete do ministro adjunto e dos Assuntos Parlamentares.