Fúria espanhola arrasa a Dinamarca

A Espanha sagrou-se pela segunda vez campeã do Mundo de andebol ao derrotar, em Barcelona, a selecção dinamarquesa por 35-19.

A Espanha sagrou-se campeã
Foto
A Espanha sagrou-se campeã Reuters

A final para a Dinamarca durou menos de 20 minutos. Dois anos depois de terem sido derrotados pela França no prolongamento da final do Campeonato do Mundo, os dinamarqueses voltaram ao jogo decisivo da prova, mas desta vez foram completamente humilhados. No Palau Sant Jordi, em Barcelona, a Espanha arrasou a formação escandinava e conquistou pela segunda vez o título mundial com o resultado mais desequilibrado da história da final da competição: 35-19.

A incerteza sobre o vencedor final do 23.º Campeonato do Mundo de andebol durou cerca de 20 minutos. Os dinamarqueses ainda conseguiram equilibrar a partida no primeiro terço do jogo, altura em que perdiam por apenas um golo (9-8), mas nos últimos 10 minutos da primeira parte os espanhóis dispararam no marcador e ao intervalo já venciam por 18-10.

Na segunda parte, o desnorte dos dinamarqueses aumentou e perante a desinspiração das suas estrelas (Anders Eggert marcou apenas três golos) e o acerto do guarda-redes espanhol Arpad Sterbik, a diferença no marcador chegou a números impensáveis.

Com apenas dois golos marcados na primeira metade do segundo tempo, a Dinamarca chegou a ter uma desvantagem de 17 golos (29-12) e o resultado final só não teve uma expressão ainda mais escandalosa porque os espanhóis tiraram o pé do acelerador na parte final.

A vantagem de 16 golos para a Espanha é, por larga margem, o resultado mais desnivelado de sempre de uma final de um Mundial. Antes da partida no Palau Sant Jordi, a vitória mais dilatada de uma partida decisiva da competição pertencia à Rússia que, em 1993, derrotou a França por 28-19.