Inspiração de Cédric foi a excepção na mediocridade sportinguista

Os “leões” estiveram a perder frente ao Nacional, mas chegaram ao empate na segunda parte com um grande golo do defesa.

Foto
Wolfswinkel falhou uma grande penalidade AFP

Durante a última semana, após a derrota no derby lisboeta, foram vários os jogadores “leoninos” que transmitiram mensagens de confiança para os adeptos. Carriço, um dos capitães dos “leões”, disse que “era impossível o Sporting continuar nesta situação”, Xandão garantiu que o cenário de uma descida de Divisão “não está em causa”. No Estádio da Madeira, principalmente nos primeiros 45’, os jogadores “verdes e brancos” mostraram o contrário.

Apesar das limitações com que Vercauteren contou (Boulahrouz, Rojo, Rinaudo, Carrillo, Schaars e Izmailov, entre outros, estavam indisponíveis), a exibição sportinguista na primeira parte, à semelhança do que tem acontecido em muitos jogos esta época, foi confrangedora. Sem confiança, atitude e agressividade, os jogadores “leoninos” entraram no jogo amedrontados e o Nacional não desperdiçou a oportunidade para começar, desde cedo, a criar perigo.

Logo aos 4’, Isael fez gato-sapato de Cédric e Labyad na direita, centrou e Rondón quase fez o primeiro. Dez minutos depois, aproveitando uma falha de marcação de Xandão e Cédric, o venezuelano voltou a estar perto do golo, valendo novamente aos sportinguistas Rui Patrício. A estatística após o primeiro quarto de hora era sintomática sobre a postura das equipas: cinco remates para o Nacional, zero para o Sporting.
 
Foi por isso, sem surpresa, que os madeirenses chegaram à vantagem: aos 25’, Isael entrou na área e, aproveitando a passividade da defesa “leonina”, rematou forte, não dando hipóteses a Patrício. Só depois de estarem a perder é que os jogadores do Sporting remataram à baliza de Vladan (Wolfswinkel, aos 26’), mas o primeiro tempo terminou com uma dúzia de remates para o Nacional e apenas dois para os “leões”.

Como pior era praticamente impossível, o Sporting surgiu melhorzinho após o intervalo, mas não criava perigo. Perante a inépcia de Labyad, Capel, Pranjic e Wolfswinkel, Manuel da Costa deu uma ajuda: aos 57’, o defesa do Nacional foi imprudente e derrubou Capel na área. No entanto, nem assim o Sporting conseguiu marcar e Wolfswinkel não acertou na baliza na conversão do penálti.

O desperdício “leonino” motivou os jogadores do Nacional, que voltaram a assumir o controlo, mas a vinte mintuos do fim, numa altura em que os madeirenses estavam novamente por cima na partida, o defesa Cédric, com um grande remate de pé esquerdo de fora da área, fez o empate e evitou que os sportinguistas sofressem a quinta derrota no campeonato.