Jorge Jesus antevê perda de qualidade no campeonato português

Na véspera do embate com o Marítimo, da 12.ª jornada da Liga, o treinador do Benfica falou sobre o adversário, sobre a crise económica e sobre o actual plantel.

Jorge Jesus pede uma vitória frente ao Beira-Mar
Foto
Jesus garante que está satisfeito com o actual plantel Foto: Francisco Leong/AFP

A crise económica que se vive em Portugal vai prejudicar a qualidade do futebol português. Esta é uma das convicções de Jorge Jesus, que antevê que muitos jogadores portugueses emigrem para campeonatos que oferecem melhores condições contratuais.

“A conjuntura económica vai fazer com que o futebol português não vá ter tanta qualidade como nos últimos anos. Às vezes oiço críticos perguntar porque é que o Rui Pedro está na Roménia e outro no Chipre ou na Bulgária, mas estão lá a jogar porque esses países pagam três vezes mais que em Portugal e o jogador médio de Portugal vai sair para esses países”, avaliou o técnico, na conferência de imprensa desta sexta-feira.

O problema, no entender de Jesus, vai ser sentido de forma mais profunda nos clubes de menor dimensão. “A qualidade nos próximos anos não vai ser tanta e as equipas de menor nomeada vão ter mais dificuldades. Mas o povo português é muito inteligente e vai procurar alternativas em outro lado, descobrindo jogadores em outros mercados”, acrescentou. 

Com a abertura do mercado de transferências de Inverno praticamente à porta, o treinador do Benfica deixou a garantia de satisfação com o actual plantel: “Estamos tranquilos e satisfeitos com o plantel que construímos e não estamos a pensar em alternativas. Temos tido recursos que nos têm satisfeito e vamos trabalhar nisso, como o caso de alguns jogadores da equipa B”.

André Gomes e André Almeida são os dois exemplos mais recentes e têm ajudado a equipa a fazer um bom arranque de temporada. “Estamos nas quatro frentes. Desde a primeira hora que digo que a grande prioridade é o campeonato nacional e a segunda a Taça de Portugal. Depois a Liga Europa e Taça da Liga também são objectivos, mas não prioritários”, concluiu. 

O próximo compromisso do calendário é o Marítimo, já no sábado (20h30). Uma equipa "normalmente perigosa, com um modelo de jogo que se foca no contra-ataque". "Há sete jogos que o Marítimo não perde. Mas estamos numa boa fase e acredito que, com a ajuda dos nossos adeptos, o jogo será mais fácil", sentenciou Jesus, que dá pouca importância a terminar o ano civil na liderança do campeonato: "O mais importante é acabar a época em primeiro".