Torne-se perito

Todo o Giacometti autenticado online

A base de dados da Fundação Alberto e Annette Giacometti tem agora mais de 1000 entradas.

Alberto Giacometti a trabalhar no seu estúdio
Foto
Alberto Giacometti a trabalhar no seu estúdio DR

É uma espécie de catalogue raisonné, mas no formato digital de uma monografia viva e em permanente actualização, com as obras autenticadas do escultor suíço Alberto Giacometti (1901-1966): actualizada, a base de dados da Fundação Alberto e Annette Giacometti , que até há pouco tempo tinha apenas 90 entradas, tem agora referenciadas mais de 1000 obras.

“É um ponto de referência para Giacometti”, disse ao The Art Newspaper um porta-voz não identificado da fundação. Que acrescenta: “Finalmente é tornada pública a pesquisa conduzida pela equipa da fundação ao longo dos últimos nove anos.”

Dividida em quatro núcleos - escultura, pintura, artes gráficas (desenho) e decorativas -, esta biblioteca digital inclui os títulos, datações, dimensões, materiais e técnicas das obras, bem como a localização, historial expositivo e bibliografia de cada trabalho.

Por nenhuma ordem especial, elencam-se 438 esculturas, de Walking Woman I (1932) a Cubist Composition III (1927), maioritariamente trabalhos em bronze, que foram o grosso da produção do artista, mas também algumas obras em pedra e terracota e estudos em gesso.

Esta segunda-feira de manhã, a lista, que pode ser pesquisada por títulos e datas, incluía, por exemplo, 38 esculturas dedicadas a Annette, a mulher do escultor, e 55 bustos e cabeças de Diego, o irmão mais novo do artista.

O núcleo dedicado à pintura apresentava também esta manhã 118 entradas, mostrando tanto trabalhos próximos da essência da escultura do artista como um variado sortido de obras mais atípicas. Entre outros, do primeiro caso são exemplos os óleos sobre tela de 1956 e 1965 que retratam dois grandes amigos de Giacommetti: o professor de Filosofia Isaku Yanaihara e Jacques Dupin, um dos grandes teóricos e curadores franceses da época, ambos em tons neutros e térreos e exemplares na contenção dos meios expressivos e gestos formais. Entre as obras mais distantes do universo existencialista associado ao escultor surgem um auto-retrato de 1917 e o retrato de uma jovem em Tête de jeune fille aux boucles d’oreilles (1917-1918), ambos em cores vibrantes e de traço impressionista, bem como uma homenagem a Botticelli em After Botticelli: the Madona of the Magnificat (1915).

O Art Newspaper refere a importância desta base de dados “num mercado susceptível a falsificações”. Será também uma fonte de pesquisa importante para académicos e para um público mais vasto interessado na obra do escultor, incluindo aspectos do seu percurso aos quais tem sido dedicado menos trabalho teórico, como as artes gráficas e decorativas.

No núcleo das artes gráficas, é agrupado todo o desenho – 341 entradas. Nas artes decorativas, surgem objectos como bases de candeeiros e altos e baixos-relevos em bronze, mas também presenças mais ímpares, como taças, uma mesa em bronze e um colar em cristal e ouro (circa 1935-1939).  

Sugerir correcção