Torne-se perito

As segundas linhas do FC Porto cumpriram na Choupana

Kléber fez o terceiro golo do FC Porto frente ao Nacional
Foto
Kléber fez o terceiro golo do FC Porto frente ao Nacional Foto: Miguel Vidal/Reuters

Vítor Pereira arriscou, a equipa cumpriu quanto baste e o FC Porto segue para os oitavos-de-final da Taça de Portugal, depois de ontem ter vencido na Choupana por 3-0 o Nacional da Madeira.

Depois de uma semana muito cansativa para os habituais titulares devido aos jogos das selecções, o técnico portista mudou quase todo o “onze” para defrontar os madeirenses, tal como havia feito na eliminatória anterior com o Santa Eulália. Mas, desta vez, a imprensão que os suplentes deixaram foi bem melhor.

As mudanças portistas estenderam-se a todos os sectores, desde a baliza (Fabiano no lugar de Helton) até ao ataque (Kléber voltou a ter uma oportunidade e as alas foram entregues aos jovens Atsu e Iturbe). No meio-campo, apenas Lucho era um dos habituais, tendo, desta vez, a companhia de Defour e de Castro. Já Manuel Machado, sem razões para poupanças, apostou numa equipa mais perto do que costuma apresentar, apenas com duas diferenças em relação ao jogo com o Vitória de Guimarães — Jota e Mateus nos lugares de Moreno e Keita.

Como seria natural, a dinâmica de jogo do FC Porto não foi a mesma de sempre. Era uma equipa cheia de corpos estranhos em que os jogadores não estavam muito bem sintonizados. Mas era suficiente para controlar a formação madeirense, ainda à procura do ritmo certo. Não estavam lá as armas colombianas James e Jackson, mas Atsu e Iturbe esforçavam-se por dar velocidade ao ataque portista, mais o ganês que o argentino.

Foi de uma combinação entre os dois que nasceu o primeiro golo do FC Porto, aos 28’. A jogada começa em Iturbe, segue pelo lado direito nos pés de Atsu, que tira um defesa do Nacional do caminho e faz o cruzamento para a área, onde Lucho, de primeira e sem deixar bater a bola no chão, remata de pé esquerdo e bate o guarda-redes Vladan pela primeira vez.

A melhor hipótese do Nacional na primeira parte surgiu poucos minutos depois, com o central Manuel da Costa quase a marcar de cabeça após um livre. Manuel Machado não esperou muito mais para mexer na equipa e tirou um médio, Jota, para meter um avançado, Keita, e o Nacional melhorou, mas sem efeitos práticos. Vítor Pereira, por seu lado, decidiu que não queria correr mais riscos e fez entrar dois dos seus preferidos, João Moutinho e James. O FC Porto voltou a crescer no jogo e o segundo golo surgiu com tranquilidade.

Aos 71’, é de novo Atsu a fazer estragos nas alas, desta vez no flanco esquerdo. O ganês faz um cruzamento rasteiro e Mangala, à entrada da pequena área fez o resto.

O Nacional ainda podia ter relançado o jogo aos 78’, mas Candeias, após jogada de contra-ataque, não conseguiu ultrapassar Fabiano.

Houve ainda tempo para o primeiro golo da temporada de Kléber. Titular pela primeira vez nesta temporada, o jovem avançado brasileiro recebeu aos 89’ um passe de Moutinho, ultrapassou Vladan e, de ângulo difícil, meteu a bola na baliza.

O FC Porto segue assim em frente nesta competição, depois de, na última temporada, ter ficado pelo caminho precisamente nesta quarta eliminatória, então com uma derrota por 3-0 em Coimbra frente à Académica.

Vítor Pereira não venceu com os seus preferidos, mas, pelo que a equipa mostrou ontem, o técnico portista pode ficar descansado em relação à qualidade das suas segundas linhas.

POSITIVOAtsu

Ainda é um jogador em crescimento, mas este jovem extremo ganês promete muito. Duas assistências para golo, mais velocidade e técnica, fazem de Atsu um jogador a seguir com muita atenção. Mais um caso de sucesso do departamento de prospecção do FC Porto.


Otamendi

Sem Maicon, foi o argentino a liderar com total segurança a defesa portista, compensando a menor experiência de Abdoulaye e Mangala.


NEGATIVODefesa do Nacional

Não é difícil de perceber por que é que o Nacional da Madeira está no fundo da tabela na liga portuguesa (é a defesa mais batida, com 20 golos sofridos). Os centrais Mexer e Manuel da Costa deram sempre muito espaço e os laterais não mostraram velocidade para acompanhar os rápidos Atsu e Iturbe.


Ficha de Jogo

Nacional, 0


FC Porto, 3


Jogo no Estádio da Madeira, na Choupana.
Assistência Cerca de 2500 espectadores


Nacional

Vladan; João Aurélio, Manuel da Costa, Mexer e Marçal; Reuson, Claudemir e Jota (Keita, 46’); Diego Barcelos (Edgar Costa, 75’), Rondon e Mateus (Candeias, 64’). Treinador Manuel Machado.


FC Porto

Fabiano; Miguel Lopes, Abdoulaye, Otamendi e Mangala (Danilo, 81’); Defour (João Moutinho, 63’), Castro e Lucho González; Atsu, Kléber e Iturbe (James Rodríguez, 63’). Treinador Vítor Pereira.


Árbitro

Paulo Baptista (Portalegre).

Amarelos

Mangala (25’), Manuel da Costa (31’), Claudemir (38’), Reuson (67’), Marçal (80’).

Golos

0-1 por Lucho, aos 28’; 0-2, por Mangala, aos 71’; 0-3, por Kléber, aos 89’.

Notícia actualizada às 23h16