Séries

“Homeland” destrona “Mad Men” nos Emmy

Ao todo, "Homeland" venceu seis prémios
Foto
Ao todo, "Homeland" venceu seis prémios Foto: Mario Anzuoni/Reuters

A série televisiva norte-americana “Homeland” tornou-se na surpresa da noite de domingo, ao vencer o galardão de melhor série dramática nos prémios Emmy. Nos prémios que são considerados o equivalente aos Óscares para a televisão, "Homeland" (intitulada "Segurança Nacional" em Portugal) bateu a saga dos publicitários “Mad Men”, que detinha este título há quatro anos consecutivos.

“Segurança Nacional” e “Game of Thrones” ("A Guerra dos Tronos"), ambas disponíveis no cabo em Portugal, foram as mais premiadas pela Academia das Artes e Ciências Televisivas norte-americana nesta 64.ª edição dos Emmy. Ambas levam seis estatuetas para casa.

O título de melhor comédia ficou pela terceira vez nas mãos de “Modern Family” (“Uma Família Muito Moderna”). Também esta série é exibida na TV por subscrição em Portugal.

“Mad Men” – cujas primeiras temporadas passaram por cá em sinal aberto, na RTP2 – esperava fazer história nesta edição: se tivesse vencido o título de melhor série dramática seria a primeira a conseguir manter o prémio cinco anos consecutivos.

Mas a noite pertenceu mesmo a “Segurança Nacional”, que conseguiu ainda os prémios de melhor actor (Damien Lewis), melhor actriz (Claire Danes) e melhor guião (Alex Gansa, Howard Gordon e Gideon Raff). A estes somam-se os dois prémios de carácter técnico, entregues na semana passada.

Ao receber o prémio de melhor série dramática o produtor executivo Alex Gansa elogiou toda a equipa de “Segurança Nacional”. “É o grupo mais talentoso com quem já trabalhei, tenho uma sorte incrível”, disse Gansa, destacando os premiados, nomeadamente, a “incomparável Claire Danes e o irresistível Damian Lewis”.

Damien Lewis, que interpreta um soldado americano de regresso a casa depois de ter estado alguns anos em cativeiro no Iraque, mostrou-se surpreendido ao receber o prémio. Foi a primeira nomeação e deixou para trás Jon Hamm, que faz de Don Draper de “Mad Men”, Bryan Cranston (“Breaking Bad”), Steve Buscemi ("Boardwalk Empire"), Michael C. Hall ("Dexter"), e Hugh Bonneville ("Downton Abbey").

“Downton Abbey”, a série britânica que se passa em 1912, estava nomeada em 16 categorias e apenas venceu a estatueta de melhor actriz secundária para Dame Maggie Smith. No ano passado a série tinha vencido nas categorias de melhor minissérie, melhor realização e melhor argumento.

Na comédia, Jon Cryer venceu o prémio de melhor actor pelo seu papel em “Dois Homens e Meio”, e Julia Louis-Dreyfus, que na série “Veep” é Selina Meyer, foi premiada na categoria de melhor actriz. Eric Stonestreet e Julie Bowen, ambos actores de “Uma Família Muito Moderna”, foram premiados nas categorias secundárias da representação.

Julianne Moore também brilhou na noite de domingo e levou para casa o Emmy de melhor actriz numa minissérie ou filme para TV pelo seu papel em “Game Change”, o filme em que dá vida a Sarah Palin. “Game Change” arrecadou também o galardão de melhor minissérie ou filme para TV.

Kevin Costner, o Devil Anse Hatfield de “Hatfields & McCoys” venceu o Emmy de melhor actor numa minissérie ou filme para TV.

“Undercover Boss - O Colega Misterioso”, que passa também na cabo portuguesa e que coloca proprietários de grandes empresas a trabalhar com os empregados sem estes saberem, arrecadou o galardão de melhor reality show.

A lista completa dos vencedores pode ser consultada no site dos prémios (link em pdf).

Notícia actualizada às 10h30: acrescentada informação sobre restantes premiados

Sugerir correcção