"Doping"

Bruyneel diz que Armstrong está ser vítima de uma injustiça

O belga Johan Bruyneel, director-desportivo da US Postal nas sete vezes que o norte-americano Lance Armstrong ganhou a Volta à França (entre 1999 e 2005), lamentou que o seu antigo “pupilo” esteja a ser vítima de uma “injustiça”.

Pouco depois de Lance Armstrong ter anunciado, na quinta-feira, que desistia de lutar contra as acusações de dopagem que enfrenta há dez anos, a Agência Antidopagem dos EUA (USADA) informou que o ciclista perdeu, na sequência desta decisão, os sete títulos que venceu na Volta a França e que foi excluído para sempre da modalidade.

Alvo de investigações por envolvimento em esquemas de dopagem, que também implicam Armstrong, Bruyneel saiu em defesa do norte-americano, considerando que a opção do antigo ciclista mostra “quão injusto foi todo este processo”.

“Lance [Armstrong] nunca desistiu de uma luta justa em toda a sua vida. Esta decisão mostra quão injusto foi este processo, que não devia ter ido tão longe”, lamentou Bruyneel, numa nota publicada no seu site oficial.

O actual diretor-desportivo da Raioshack, em que alinham os portugueses Nelson Oliveira e Tiago Machado, considera que esta notícia “representa uma grande desilusão para Armstrong e para todo o ciclismo em geral”.

Sugerir correcção