Justiça

Tribunal absolve arguidos do Freeport e manda investigar pagamentos ao Ambiente

Manuel Pedro e Charles Smith eram acusados de tentativa de extorsão
Foto
Manuel Pedro e Charles Smith eram acusados de tentativa de extorsão Foto: Rui Gaudêncio

O Tribunal do Barreiro absolveu esta sexta-feira os dois arguidos do processo Freeport e extraiu certidão para averiguar alegados pagamentos ilegais dentro do Ministério do Ambiente.

Apesar da absolvição dos arguidos, Manuel Pedro e Charles Smith - que eram acusados de tentativa de extorsão - o colectivo de juizes, liderado por Afonso Andrade, considerou que do julgamento resultaram fortes indícios que existiram pagamentos dentro do Ministério do Ambiente e da Administração Pública, tendo por base os depoimentos de três testemunhas que referiram que o antigo primeiro-ministro José Sócrates, na altura ministro do Ambiente, recebeu pagamentos em dinheiro para viabilizar o projecto do outlet de Alcochete.

Desta forma, os juízes entenderam não desvalorizar esses depoimentos, mandando extrarir certidão autónoma para que esses indícios sejam averiguados e para que José Sócrates se possa defender.

Desde segunda-feira passada, quando ocorreram as alegações finais do caso, que era expectável que o julgamento terminasse sem qualquer condenação. Isto porque o próprio Ministério Público (MP) pediu a absolvição dos dois únicos arguidos acusados.

Recorde-se que em Julho de 2010, após mais de seis anos de investigação, o Ministério Público arquivou todas as restantes suspeitas por não ter encontrado indícios suficientes para acusar nenhum dos sete arguidos pela prática dos crimes de corrupção, tráfico de influência, branqueamento de capitais ou financiamento partidário ilegal no processo de licenciamento do outlet.

Notícia actualizada às 15h20
Sugerir correcção