Procura forte e juros a subir em todos os prazos

Espanha paga mais de 6% para se endividar a cinco anos, um novo recorde

Foto
Foto: Edgard Garrido/ Reuters (arquivo)

As taxas de juro pagas por Espanha subiram fortemente num leilão de obrigações de curto e médio prazo realizado nesta quinta-feira, e atingiram um máximo da era do euro para o prazo de cinco anos, acima de 6% e mais que duplicaram a dois anos.

O país obteve 2220 milhões de euros no mercado, acima de os 2000 milhões anunciados para uma emissão de um montante modesto e procura forte, segundo a Reuters. O rácio da procura/oferta subiu nos três prazos utilizados – cinco, três e dois anos.

Apesar de os juros implícitos às transacções com títulos de dívida espanhola nos mercados secundários estarem nesta quinta-feira em queda nos principais prazos (tal como no caso de Itália), a colocação de obrigações fez-se com fortes subidas de juros em todos os prazos face aos leilões precedentes no mercado primário, num momento em que o país teve de pedir dinheiro ao exterior para financiar os seus bancos.

A obrigação a cinco anos foi colocada pagando um juro médio de 6,072%, o que representa uma subida de 22,4% face aos 4,960 pagos no mês passado, no leilão precedente com este prazo de vencimento.

Na emissão a dois anos os juros subiram 127,4% (de 2,069% em Março para 4,706% agora) e a três anos a subiram 11,9% (passou de 4,876% no mês passado para 5,457% agora).

A subida muito mais intensa no prazo a dois anos resulta de a emissão precedente ter ocorrido em Março, antes de se ter sentido a forte subida de juros dos últimos meses. Em Maio, a subida face ao período de baixa na sequência da cedência de liquidez do BCE aos bancos já era muito forte.

Sugerir correcção