O IEFP registou 30.073 inscrições de pessoas dispostas a ir para países da UE ou Suíça benoit_d/Flickr
Foto
O IEFP registou 30.073 inscrições de pessoas dispostas a ir para países da UE ou Suíça benoit_d/Flickr

Mais de 56 mil portugueses procuram trabalho em rede europeia de emprego

Candidatos são cada vez mais qualificados e mais de metade tem 35 anos (ou menos). Portugal é o quarto país da União Europeia com mais inscritos na rede de emprego EURES

O número de portugueses a procurar emprego fora do país não pára de crescer. A rede europeia de serviços de emprego tem actualmente 56.201 currículos portugueses publicados e só nos últimos dois meses cerca de 4700 pessoas inscreveram-se no "site".

Os centros de emprego do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) registam 30.073 inscrições de pessoas dispostas a ir para países da União Europeia ou Suíça, um número que representa um aumento de 25,9% desde Dezembro de 2010.

Mais de metade dos inscritos (53%) têm 35 anos ou menos, são homens (60%), oriundos de Lisboa e Vale do Tejo (50%). Segundo dados fornecidos pelo IEFP, os candidatos “são crescentemente qualificados, com habilitações superiores ou intermédias”: 34,1% têm pelo menos o bacharelato e 27,6% concluíram o ensino secundário.

Áreas profissionais mais procuradas

O número de profissionais de sectores mais afectados pela crise — “como é o caso da Construção civil, Hotelaria, Restauração e Indústria Transformadora” — tem também aumentado. Actualmente, o portal do EURES disponibiliza um milhão e 400 mil ofertas de emprego, com ofertas em quase todas as áreas, para todos os tipos de qualificações e vários tipos de contratos.

As áreas mais procuradas pelos empregadores são, em primeiro lugar, engenharia e tecnologias da informação, programadores e outros especialistas de informática e engenheiros mecânicos; em segundo, aparecem a hotelaria e restauração; e, por último, chefes de venda, especialistas de marketing e comerciais.

Os dados, fornecidos pelo IEFP, fazem de Portugal o quarto país da União Europeia (UE) com mais candidatos a procurar emprego na rede EURES. Em primeiro lugar encontram-se os espanhóis (com 195 mil currículos submetidos), seguidos dos italianos (103 mil) e depois os romenos (62 mil).

No outro lado da equação, encontram-se a Alemanha e o Reino Unido como os países que registam mais ofertas de emprego no Portal do EURES. Juntos, representam dois terços das ofertas, com cerca de 800 mil lugares. Seguem-se a Suécia, a Finlândia, a França, a Áustria, a Itália e a Dinamarca. Portugal também se assume como um empregador, sobretudo para os noruegueses e os suíços.

Os interessados em trabalhar na União Europeia ou na Suíça podem inscrever-se através do NETemprego, sendo contactados quando surgem oportunidades de emprego para o seu perfil. Podem também registar-se no Portal EURES, publicitando o currículo junto dos 26.800 empregadores registados em toda a Europa. Quem não quiser receber alertas, mas estiver interessado em manter-se a par das ofertas disponíveis, pode também fazê-lo, através do site do EURES Portugal