Instituto de Meteorologia

Março teve duas ondas de calor

Em Março foram registadas duas ondas de calor
Foto
Em Março foram registadas duas ondas de calor Paulo Pimenta

As temperaturas elevadas no mês de Março trouxeram duas ondas de calor, segundo o Instituto de Meteorologia. Além disso, os valores de precipitação foram, em média, cerca de um terço dos normais.

Durante o mês de Março registou-se uma “anomalia relativamente aos valores normais para este mês no continente”, sendo de realçar a “ocorrência de temperaturas máximas superiores ou iguais a 25ºC em muitos locais do território”, revela hoje o Instituto de Meteorologia.

"Como consequência das temperaturas elevadas persistentes verificou-se a ocorrência de duas ondas de calor, a primeira, no período de 8 a 15 de Março, que atingiu a região Norte e o vale do Tejo e Alto Alentejo, e a segunda na última semana do mês, na região Norte e Centro e na zona de Sines".

Março também ficou marcado pelos baixos níveis de precipitação. Nas regiões do Norte e Centro, este foi um Março “muito seco” a “extremamente seco”. Mas na região de Lisboa e no Sul do país, a chuva que caiu no final do mês aproximou os valores de precipitação do normal. Por isso, o Instituto de Meteorologia considera que o mês foi “normal” na região de Lisboa e “normal” a “seco” no Sul do país, com excepção da região de Sines onde foi chuvoso.

No arquipélago da Madeira, “a precipitação foi muito inferior ao normal, sendo de destacar a ausência de precipitação no Funchal durante todo o mês, situação excepcional que se verificou apenas em dois anos desde que existem registos (1897 e 1927)”,salienta o instituto.

Actualmente, “a seca meteorológica mantém-se em todo o território do continente, com um ligeiro desagravamento nas regiões do Sul, distribuindo-se por 57% em seca extrema, 41% em seca severa e 2% em seca moderada”, informa o instituto.