Automobilismo

Hirvonen foi desclassificado e perde Rali de Portugal

Hirvonen ganhou no terreno, mas perdeu na secretaria
Foto
Hirvonen ganhou no terreno, mas perdeu na secretaria Foto: Francisco Leong/AFP

O piloto finlandês Mikko Hirvonen foi desclassificado do Rali de Portugal, que venceu neste domingo, porque a embraiagem do Citroën DS3 WRC foi considerada ilegal. Mads Ostberg (Ford) foi declarado vencedor, embora a classificação esteja suspensa, porque a Citroën recorreu desta decisão.

"Mikko Hirvonen e Jarmo Lehtinen foram desclassificados desta edição do Vodafone Rally de Portugal, depois de terem concluído a prova na primeira posição no final das 22 classificativas. A decisão dos comissários desportivos surgiu na sequência do relatório apresentado pelos comissários técnicos que detectaram situações não conformes com a ficha de homologação do Citroen DS 3 WRC", confirmou a organização, em comunicado.

Os comissários alegam "que a embraiagem montada no carro nº 2 não está em conformidade com a ficha de homologação A5733 e por isso excluem o carro nº 2 da classificação do evento", tendo ainda verificado que "o turbo (turbina) montado no carro nº 2 parece não estar em conformidade". "No entanto, os comissários suspendem a decisão nesta matéria e pedem ao delegado técnico da FIA [Federação Internacional do Automóvel] para proceder a um exame mais detalhado, ficando a aguardar esse relatório para uma futura decisão", acrescentam os comissários.

A Citroën, entretanto, recorreu desta decisão. “A nossa intenção não foi fazer batota e a sanção parece desproporcionada. Tendo em conta que os pontos assinalados não nos beneficiaram, decidimos recorrer desta decisão”, afirmou Yves Matton, diretor da Citroën Racing, em declarações ao site oficial da marca francesa na Internet.

Horas antes, Hirvonen tinha-se mostrado aliviado por finalmente ter conseguido vencer o Rali de Portugal, numa prova em que também ajudaria a sua equipa no campeonato.

“Sentimo-nos aliviados. Foi um início de rali difícil (sexta-feira), as condições eram difíceis devido ao nevoeiro e à cuva, mas mantive-me calmo e tentei não cometer erros. Valeu a pena”, disse o piloto nórdico, na conferência de imprensa que encerrou a 46.ª edição do Rali de Portugal.

“É fantástico vencer um rali em Portugal ao fim de tantos anos”, disse ainda Hirvonen, que, sobre o facto de tanto ele, como os segundo e terceiro classificados, não terem ganho uma prova especial, se limitou a dizer: “Fomos espertos”.

Hirvonen acrescentou ter sido o Rali de Portugal mais difícil que enfrentou e só encontrava paralelo num Rali da Argentina, em que o nevoeiro lhe colocou inúmeros problemas.

Caso esta decisão seja confirmada, Hirvonen perde a vitória no Rali de Portugal e não consegue, por consequência, subir ao primeiro lugar do Mundial de pilotos.

Notícia actualizada às 23h47