Cronologia

Os principais momentos do caso Rui Pedro

Rui Pedro desapareceu há 13 anos, quando tinha 11 anos de idade. No ano passado, Afonso Dias começou a ser julgado pelo crime de rapto do menor. Foi absolvido.

1998

4 Março

- Desaparece Rui Pedro, criança de Lousada, então com 11 anos de idade. O menor é visto pela última vez após o almoço, por colegas.

5 Março

- PJ inicia investigação do desaparecimento, ouvindo várias pessoas, sem nunca determinar qualquer suspeito, apontando como primeira prioridade localizar o menor.

2004

Segunda brigada da PJ retoma investigação do desaparecimento, fazendo uma primeira reconstituição dos factos.

2008

Terceira brigada da PJ inicia investigação do desaparecimento, criando pela primeira vez uma equipa específica.

2011

26 Fevereiro

- O principal suspeito do desaparecimento de Rui Pedro, há 13 anos, é acusado do crime de rapto agravado.

26 Maio

- O advogado da família de Rui Pedro defende, em debate instrutório, que Afonso Dias, acusado de rapto do menor, seja levado a julgamento.

6 Junho

- A decisão instrutória do processo em que Afonso Dias está acusado do rapto de Rui Pedro determina que o arguido vai a julgamento.

17 Novembro

- Afonso Dias começa a ser julgado no tribunal de Lousada. Estão arroladas mais de 60 testemunhas.

17 Novembro

- O homem acusado do rapto de Rui Pedro recusa-se, na primeira sessão de julgamento, a prestar declarações ao tribunal.

17 Novembro

- Afonso Dias interrompe o depoimento da mãe de Rui Pedro quando esta falava ao tribunal. Não foi claro o que o arguido disse a Filomena Teixeira, da qual se aproximou. O arguido disse jurar em nome do seu filho, não tendo sido depois perceptível o resto da frase, onde se ouviu também uma alusão a Rui Pedro.

22 Novembro

- Primo de Rui Pedro diz no tribunal que foi convidado, conjuntamente com o menor desaparecido, para irem às prostitutas a Freamunde, confirmando a tese da acusação.

25 Novembro

- O tribunal de Lousada observa o local onde várias crianças terão visto, há 13 anos, Rui Pedro entrar para a viatura que se suspeita ser do alegado raptor.

25 Novembro

- Afonso Dias desloca-se ao Instituto de Medicina Legal, em Penafiel, para se submeter a exames psíquicos no âmbito de uma perícia requerida pela defesa.

4 Dezembro

- A prostituta que alega ter estado com Rui Pedro no dia do desaparecimento do menor reafirma, na reconstituição dos factos no local do suposto encontro, que o menor lhe foi levado pelo arguido acusado de rapto.

7 Dezembro

- A defesa de Afonso Dias diz em audiência que o depoimento da prostituta que diz ter estado com o menor de Lousada contraria alegadas declarações daquela testemunha à PJ e que isso prejudica o arguido.

13 Dezembro

- O tribunal de Lousada visualiza um vídeo de 2004 com a reconstituição dos factos do dia do desaparecimento de Rui Pedro no qual Afonso Dias garante não ter estado com o menor na tarde do desaparecimento.

14 Dezembro

- Dois inspectores da Polícia Judiciária (PJ) que investigaram o desaparecimento de Rui Pedro dizem em tribunal que a prostituta que alega ter estado com a criança deu informações sem credibilidade e que, por isso, não foi aprofundada aquela pista.

2012

26 Janeiro

- O tribunal de Lousada ouve as alegações finais do julgamento de Afonso Dias.

26 Janeiro

- O Ministério Público (MP) e o advogado da família de Rui Pedro requerem alterações aos factos que levaram a julgamento o homem acusado de rapto qualificado da criança desaparecida desde 1998.

27 Janeiro

- O Ministério Público pede uma pena superior a sete anos de prisão para Afonso Dias.

27 Janeiro

- O advogado de defesa de Afonso Dias pede a absolvição do arguido, considerando não ter ficado provado o crime.

22 Fevereiro

- Tribunal de Lousada absolve Afonso Dias por falta de provas.