Taxa média de 2011 ficou em 12,7%

Desemprego regista a maior subida de sempre, para 14% no final do ano

Foto
Foto: Paulo Pimenta

A taxa de desemprego em Portugal disparou para 14% da população activa no quarto trimestre do ano, a maior subida registada desde que o INE calcula dados e um novo máximo histórico, ao mesmo tempo que a população activa caiu.

Este valor é superior em 1,6 pontos percentuais aos 12,4% registados no terceiro trimestre e representa um aumento de 12,9% em três meses da taxa de desemprego e de 11,8% da população desempregada, que subiu para 771 mil desempregados no país, contabilizados segundo os critérios oficiais. Se forem incluídas as pessoas desencorajadas mas que gostariam de encontrar trabalho, o número real deverá aproximar-se ou mesmo ultrapassar o milhão.

A população activa tem vindo a cair quase ininterruptamente desde o segundo trimestre de 2008, quando estava em 5,638 milhões. O valor hoje conhecido é de 5,507 milhões, o que representa uma queda de 0,7% face ao terceiro trimestre e de 2,3% face àquele pico. Tem agora menos 131 mil pessoas do que antes de se iniciar a tendência de queda decorrente da actual crise e é preciso recuar ao terceiro trimestre de 2004 para se encontrar uma população activa menor que a actual.

A taxa de desemprego média do ano passado foi de 12,7%, o que representa 706 mil desempregados e fica acima das previsões do Governo (12,5%, no Orçamento para 2012) e da Comissão europeia (12,6% na previsão do Outono).

A previsão para este ano é de respectivamente 13,4% e 13,6%, mas dado o salto hoje conhecido e dado que se prevê um aumento para este ano face ao anterior, não será surpreendente que estes valores sejam ultrapassados.

Desemprego jovem disparou mais de 30% em seis meses

O desemprego dos jovens continua a ter os números mais dramáticos: taxa de 35,4% entre Outubro e Dezembro, face a 30% no terceiro trimestre e 27% no segundo, o que resultou numa taxa anual de 30,1%. Estes valores representam uma subida de 31% em seis meses da taxa de desemprego jovem, que abrange a população com idade entre 15 e 24 anos.

A taxa de desemprego dos homens aproximou-se bastante da das mulheres no trimestre passado, tendo passado para 13,9% (14,1% para as mulheres).

O desemprego de longa duração também sofreu um forte aumento, tendo passado em três meses de 6,4% para 7,4% da população activa – o que significa que havia 407,5 mil pessoas desempregadas há mais de um ano no país.

O valor hoje divulgado para a taxa de desemprego no país constitui um recorde desde o início do cálculo destes dados pelo INE (no segundo trimestre de 1983) e desde o início as séries longas do Banco de Portugal, que no caso do desemprego remonta a 1953 e utiliza um conceito mais lato do que o actual.

Notícia actualizada às 12h15