Futebol internacional

Capello demite-se da selecção inglesa

Capello despediu-se
Foto
Capello despediu-se Foto: Andrew Yates/AFP

A quatro meses do Euro 2012, a selecção inglesa ficou sem técnico. Fabio Capello apresentou a demissão nesta quarta-feira, após uma reunião com o presidente e o secretário-geral da Federação inglesa.

“Gostaria de salientar que na reunião de hoje e durante toda a sua passagem pelo cargo de seleccionador inglês, Fabio Capello teve uma conduta extremamente profissional. Aceitámos a demissão, concordando que é a decisão correcta. Gostaríamos de agradecer a Fabio Capello pelo seu trabalho ao serviço da selecção inglesa e desejar-lhe o maior sucesso no futuro”, declarou o presidente da Federação, David Bernstein, em declarações reproduzidas pela página oficial do organismo na Internet.

O tema que dominou o encontro foi a decisão de retirar a braçadeira de capitão da selecção inglesa a John Terry, defesa do Chelsea. Capello foi contrário à decisão e não se coibiu de a criticar publicamente. Em declarações à emissora italiana RAI, confessou discordar “em absoluto” da medida. “Creio que o correcto seria John Terry manter a braçadeira de capitão”, acrescentou, na altura, o técnico.

As declarações não caíram bem entre os dirigentes da FA, que aceitaram o pedido de demissão de Fabio Capello. O italiano, que sucedeu a Steve McClaren no cargo após a qualificação falhada para o Euro 2008, é o técnico com maior percentagem de vitórias ao serviço da selecção inglesa, segundo dados da empresa de estatística desportiva Opta: 28 triunfos em 42 jogos, ou 66,7%. Alf Ramsey, que esteve ao leme da selecção inglesa entre 1963 e 1974, é o segundo melhor nesse ponto (61,1%). Sven-Göran Eriksson, que orientou a Inglaterra entre 2001 e 2006, teve 59,7%.

A especulação relativamente ao sucessor de Capello não demorou a aquecer. Entre os nomes referidos com maior insistência estão os de Harry Redknapp (Tottenham) e Stuart Pearce (sub-21 de Inglaterra). Alan Pardew (Newcastle) e Roy Hodgson (West Bromwich) também são apontados como possibilidades, num grupo em que são referidos alguns estrangeiros: Martin O’Neill (norte-irlandês, do Sunderland), Rafael Benítez (sem clube desde que deixou o Inter) e... José Mourinho, treinador do Real Madrid.

A Federação inglesa marcou uma conferência de imprensa para quinta-feira, em que dará esclarecimentos adicionais sobre o futuro da selecção inglesa.

Notícia actualizada às 21h22