Página de Facebook do Al-Ahly
Foto
Página de Facebook do Al-Ahly

Luto no Facebook do Al-Ahly e uma estátua aos mártires

O Conselho de Administração do clube anunciou que irá construir um monumento e que irá lembrar o “primeiro dia de Fevereiro como o dia dos mártires”

A página de Facebook do Al-Ahly está de luto. Através dela, o clube egípcio anunciou uma série de medidas em consequência dos “infelizes eventos” que tiveram lugar em Port Said, no jogo entre o Al-Masry e o Al-Ahly, e que deixaram sem vida 74 pessoas.

O Conselho de Administração do clube, que já havia demitido Essam Samak, director de segurança, suspendeu “todas as actividades desportivas do clube” e anunciou que irá construir um monumento aos “mártires” dos confrontos e lembrar o “primeiro dia de Fevereiro como o dia dos mártires”.

O clube de Manuel José vai ainda abrir uma conta bancária para receber doações que serão distribuídas pelas famílias das vítimas. A conta será aberta com uma base depositada pelo próprio clube.

Testamento antes do jogo

Mas as redes sociais não estão apenas preenchidas com mensagens pacíficas. Segundo rumores que correm na Internet, os ultras do Al-Masry terão lançado ameaças aos rivais via Facebook. “Os adeptos do Al-Ahly que pretendem ir ao estádio amanhã devem deixar um testamento para as suas mães”.

Hoje, a história é diferente. Os “Ultras Ahlawy”, o principal grupo de adeptos do Al-Ahly, juntam-se no estádio aos “Cavaleiros Brancos”, os mais radicais do Zamalek, e de lá marcham pelas ruas do Cairo até o Parlamento na companhia de diversos grupos políticos.

Sugerir correcção