Fotogaleria
Peritos associam locais de diversão nocturna de estâncias de férias à iniciação no consumo de drogasPaulo Pimenta/arquivo
Fotogaleria
Fernando Veludo/nFactos/arquivo

Estâncias de férias são locais de iniciação no consumo de droga?

Associação entre o consumo de droga e o consumo de álcool, o chamado policonsumo, figura entre as principais preocupações do Observatório Europeu das Drogas

Chama-se Healthy Nightlife Toolbox e é uma acção financiada pela União Europeia (UE), a partir da Internet, com o propósito de ajudar a reduzir os dados resultantes do consumo de álcool e de droga nos locais de diversão nocturna.

Chama-se Safer Nightlife, também é financiado pela UE, e destina-se não só a fornecer informação e formação, mas também a melhorar os programas de prevenção nesses locais.

As estratégias de redução de danos são cada vez mais frequentes, sobretudo em contextos recreativos, geralmente associados a elevados níveis de consumo de droga.

PÚBLICO -
Foto
Os efeitos da mistura de várias substâncias são desconhecidos e podem implicar danos irreversíveis Nelson Garrido/arquivo

Políticas de prevenção e redução de danos

Em todo o caso, a avaliar pelo relatório anual do Observatório Europeu das Drogas e da Toxicodependência (OEDT), apresentado esta terça-feira em Lisboa, apenas 13 países da UE assinalam a existência de políticas de prevenção e redução de danos nestes contextos.

A maioria destas intervenções centra-se na formação do pessoal de serviços dos estabelecimentos, como é o caso do projecto austríaco Taktisch klug (táctica inteligente), para organizadores de eventos aprenderem a reconhecer “sinais de embriaguês” ou a “recusar servir clientes”.

Estudos citados no relatório, que aborda a evolução dos padrões de consumo e de tráfico ao longo do último ano, apontam os locais de diversão nocturna de estâncias de férias internacionais como estando associados ao “recrutamento para o consumo de droga”.

Quer isto dizer que Ibiza ou Maiorca são locais mais susceptíveis de iniciação no consumo de droga? Ibiza sim, responde o OEDT, ao citar uma investigação realizada naqueles locais.

Um dos estudos, sobre jovens entre os 16 e os 35 anos, de Espanha, Alemanha e Reino Unido, que visitaram Ibiza e Maiorca, identificou diferentes padrões de consumo de droga consoante a nacionalidade e a estância de férias.

Os níveis de consumo eram mais elevados entre espanhóis e britânicos em Ibiza – um em cada cinco britânicos experimentou pelo menos uma nova droga durante as férias.

A associação entre o consumo de droga e o consumo de álcool, o chamado policonsumo, figura entre as principais preocupações deste relatório, na medida em que os efeitos resultantes da mistura de várias substâncias são perfeitamente desconhecidos e podem implicar danos irreversíveis.