Primeira obra de Arthur Conan Doyle chega esta semana às lojas

Obra de Conan Doyle julgava-se perdida
Foto
Obra de Conan Doyle julgava-se perdida DR

“The Narrative of John Smith”, a primeira obra do autor de Sherlock Holmes, Arthur Conan Doyle, vai chegar às lojas pela primeira vez esta segunda-feira.

O livro, agora editado pela British Library e também em versão audiobook lido pelo actor Robert Lindsay, foi escrito entre 1883 e 1884, quando Conan Doyle tinha apenas 23 anos, apenas alguns anos antes de ser publicada a primeira história de Sherlock Holmes. “The Narrative of John Smith” conta a história de um homem de 50 anos que está confinado ao espaço do seu quarto e todos os pensamentos que lhe ocorrem naquelas condições, desde a religião à guerra, passando pela literatura, até às conversas que tem com as pessoas que o visitam.

“Esta publicação mostra que ainda existem coisas novas por descobrir sobre esta icónica figura literária”, disse à BBC Rachel Foss, co-editora do livro. “É um testemunho da riqueza da vida de Conan Doyle e do arquivo que ele deixou para trás”, continuou.

Há já cerca de 130 anos que não surgia nenhum inédito deste autor. A obra de 130 páginas ter-se-á perdido nos correios quando Conan Doyle a enviou para uma editora, tendo sido recentemente descobertos os manuscritos do escritor, que terá tentado depois reescrever a história. Desde 2007 que os documentos literários estão na posse da colecção Conan Doyle da British Library.

A história revela já alguns indícios de Sherlock Holmes e mostra a passagem do escritor dos pequenos contos às grandes histórias.

Arthur Conan Doyle, que nasceu na Escócia em 1859, morreu aos 71 anos de ataque cardíaco, na Inglaterra, país para onde se mudou quando era jovem, na altura em que começou a escrever.