Onyewu resgatou o Sporting

Foto
Wolfswinkel marcou um dos golos do Sporting Reuters

Os “leões” tiveram uma entrada fulgurante no jogo de Vila do Conde e ainda muitos adeptos estavam a entrar no estádio e já a formação de Alvalade vencia por 2-0. Tudo nos primeiros 4’. Um período de tempo em que os homens da casa pareciam muito bem não saber o que estavam a fazer, tal a capacidade demonstrada pelo meio-campo leonino que contava com um Rinaudo notável, um Schaars a mostrar bons pormenores e, fundamentalmente, um Elias de qualidade superior. O médio brasileiro enche o campo. A tudo isto juntavam-se ainda bons momentos do jovem peruano Carrilho pela direita e a constante movimentação de Wolfswinkel. O Rio Ave ficou tolhido numa espécie de colete-de-forças, mostrando-se demasiado macio e incapaz de pressionar.

O primeiro golo surgiu logo aos 2’, num canto de Elias com Schaars a aparecer sem qualquer oposição a marcar. Ainda um pouco atordoados por esta entrada, os homens de Vila do Conde sofreram o segundo, com Wolfswinkel a aproveitar um cruzamento de Capel e a passividade do adversário para aumentar a vantagem. Como nada corria bem ao Rio Ave, Carlos Brito perdeu também logo nos primeiros minutos da partida João Tomás, uma referência no futebol ofensivo da equipa. O Sporting continuou a mandar completamente no jogo durante 20’ e só depois permitiu uma ténue reacção ao adversário. Os poucos lances de perigo ficaram a dever-se a alguns disparates de Rui Patrício, que está longe do seu melhor, e a uma boa jogada de Vítor Gomes e Kelvin que Tarantini desperdiçou.

Mas o Sporting foi-se perdendo. Por culpa própria e mérito do adversário. Carlos Brito ordenou mais pressão sobre Rinaudo, impedindo facilidades na construção do jogo, ao mesmo tempo que o jovem Christian Atsu, cedido pelo FC Porto, arrancava uma excelente exibição. E o resultado apareceu no início da segunda parte. O ex-júnior, aos 48’, pegou na bola, entrou pela esquerda e quase sem ângulo bateu Rui Patrício, que não estava bem colocado. O mesmo jogador entrou, aos 63’, pela esquerda e cruzou para Yazalde fazer o empate. Mas depois, aos 74’, Onyewu fez valer o seu físico e cabeceou para o fundo da baliza um canto de Capel. Sony, aos 76’, simulou uma falta, viu o segundo amarelo e deixou a equipa só com dez elementos, entregando praticamente a vitória ao Sporting.

POSITIVO
Christian Atsu

Este jovem, cedido pelo FC Porto, foi um dos melhores elementos em campo. Marcou um golo notável e fabricou o segundo.


Elias

Foi a face visível do melhor que se viu do Sporting, na primeira fase da partida. O brasileiro tem técnica, joga e faz jogar. É já o líder da equipa.


NEGATIVORui Patrício

O guarda-redes do Sporting está longe do seu melhor. Cometeu demasiados erros e fez passar os adeptos por um punhado de calafrios. No primeiro golo do Rio Ave ficou a ideia de que não estava bem colocado.


Ficha de jogo

Rio Ave 2
Sporting 3

Jogo no Estádio dos Arcos, em Vila do Conde. Assistência cerca de 4500 espectadores.

Rio Ave

P. Santos, J. Sony, Gaspar, Jeferson, T. Pinto, Wires, Tarantini, V. Gomes (Ednei, 85’), Kelvin (Braga, 78’), J. Tomás (Atsu, 8’), Yazalde. Treinador Carlos Brito.

Sporting

R. Patrício, J. Pereira, Rodriguez, Onyewu, Insúa, Rinaudo, Elias (A. Santos, 79’), Schaars, Carrillo (Pereirinha, 55’), Wolfswinkel, Capel (M. Fernández, 86’). Treinador Domingos Paciência.

Árbitro

Hugo Miguel, de Lisboa. Amarelos Onyewu (21’), J. Sony (26’ e 75’’), Kelvin (30’), Rinaudo (35’), R. Patrício (51’), Elias (61’), Yazalde (64’), Schaars (69’), V. Gomes (81’), Tarantini (81’), J. Pereira (88’) Vermelho J. Sony (75’).

Golos

0-1, por Schaars, aos 2’;


0-2, por Van Wolfswinkel, aos 4’;


1-2, por Atsu, aos 49’;


2-2, por Yazalde, aos 63’;


2-3, por Onyewu, aos 74’.


Notícia em actualização