Raquel Esperança
Foto
Raquel Esperança

Secil para Souto Moura e a sua Casa das Histórias

Duas estruturas piramidais e betão pigmentado a vermelho em contraste com o verde do bosque

O arquitecto Eduardo Souto de Moura foi hoje distinguido com o Prémio Secil de Arquitectura, pela Casa das Histórias Paula Rego, em Cascais.

O júri do prémio destacou a forma como Souto de Moura conciliou a construção do edifício com o jardim envolvente. “O edifício foi pensado tendo em conta os elementos fundamentais já existentes: o terreno e as árvores”, pode-se ler no comunicado do júri.

“As duas estruturas piramidais, que se destacam na obra, são inspiradas num pormenor de uma das várias casas da vila, da autoria do também arquitecto Raul Lino. A natureza envolvente ajudou a decidir o material exterior, betão pigmentado a vermelho, em contraste com o verde do bosque”, continua.

PÚBLICO -
Foto
Detalhe do desenho da Casa das Histórias DR

Realidade abstracta vs realidade quotidiana

PÚBLICO -
Foto
Detalhe do desenho da Casa das Histórias DR

No mesmo comunicado, o arquitecto explica que “nunca é demais contrapor a realidade abstracta e totalmente artificial da arte contemporânea, com a realidade quotidiana e dura que nos rodeia”, revelando que teve a preocupação de que cada sala de exposições do edifício tivesse sempre uma abertura para o jardim.

“Para que o edifício não fosse um somatório neutro de caixas, estabeleci uma hierarquia, introduzindo duas grandes pirâmides no eixo da entrada, que são a livraria e o café”, justifica.

O prémio, no valor de 50 mil euros e que é dado de dois em dois anos, é uma referência na área da arquitectura e distingue obras que incorporam o material principal da actividade da Secil – o cimento – e que, ao mesmo tempo, “constituam peças significativas no enriquecimento da arquitectura portuguesa”, na expressão da empresa.

Esta é assim a terceira vez que Eduardo Souto de Moura é distinguido com o Prémio Secil, depois de em 2004 ter sido escolhido com o Estádio Municipal de Braga, em 2004, e em 1992, ano da criação do prémio, com a construção da Casa das Artes no Porto.

Lê o artigo completo no PÚBLICO

Sugerir correcção