Futebol

Árbitros acusam alguns clubes de "quererem privilégios"

A arbitragem portuguesa continua a originar polémicas
Foto
A arbitragem portuguesa continua a originar polémicas Toussaint Kluiters/Reuters (arquivo)

Sem nomear ninguém, Luís Guilherme, presidente da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF) acusa alguns clubes de quererem “privilégios que outros não têm”.

“Para os árbitros, os clubes são todos iguais e tratados de igual forma, mas há uns que não percebem isso. Há clubes que pretendem ter privilégios que outros não têm”, acusou o presidente da APAF, Luís Guilherme.

Para o dirigente, o organismo deseja que não volte e repetir-se a atitude de João Ferreira em renunciar a apitar o jogo de domingo entre o Beira-Mar e o Sporting, da segunda jornada da Liga de futebol, mas rejeita responsabilizar apenas os árbitros no caminho para uma solução.

“Não tomamos estas medidas só porque nos apetece ou acordámos mal dispostos. Os árbitros são pessoas sensatas e esta decisão de João Ferreira teve a ver com algumas situações que estavam a ocorrer”, considerou Luís Guilherme.

Além de recuperar os apelos a “todos os agentes desportivos” para a melhoria do futebol português, Luís Guilherme apelou a uma “solução em conjunto”, sem o ónus exclusivo da arbitragem.

“Somos um conjunto e a solução não depende só dos árbitros. É necessário que todos tenham essa consciência. Não tratámos mal ninguém”, frisou, sem nunca se referir às críticas do Sporting, que originaram a recusa de João Ferreira.

Sugerir correcção