Automobilismo

Peugeot de Pedro Lamy foi segundo nas 24 Horas de Le Mans

Foto
Regis Duvignau/Reuters

Marcel Fasselr, André Lotterer e Benoit Treluyer, em Audi, voltaram hoje a vencer as 24 Horas de Le Mans, com um total de 354 voltas, deixando o Peugeot, que tinha Pedro Lamy como um dos pilotos, na segunda posição.

No circuito de La Sarthe, o sobrevivente Audi número 2 deixou o Peugeot número 9, de Sébastien Bourdais, Simon Pagenaud e Pedro Lamy, a 13,854 segundos, e conquistou o nono triunfo para a marca alemã desde 2000.

“Estivemos muito perto, andámos muito rápido, mas acabámos por perder um carro e acabou por não ser possível. Estávamos a tentar chegar à frente, perdemos por pouco, acho que por pouco mais de dez segundos. Eu acabei por não conduzir muito. Gostava de ter conduzido mais, mas foi uma decisão da equipa”, afirmou Pedro Lamy, após a corrida.

A marca francesa colocou ainda mais três carros nas posições imediatas, com Stéphane Sarrazin, Franck Montagny e Nicolas Minassian, a duas voltas, Anthony Davidson, Marc Gene e Alex Wurz, a quatro, e Nicolas Lapierre, Loic Duval e Olivier Panis, a 16.

Já a Audi ficou reduzida a apenas um carro, após as desistências do Audi número 3, de Tom Kristensen, Rinaldo Capello e Allan McNish, e do número 1, de Mike Rockenfeller, Romain Dumas e Timo Bernhard.

O segundo melhor português em prova foi João Barbosa, na 10.ª posição da geral, a 36 voltas do líder, ao volante de um Lola Coupe-Honda, que obteve o terceiro lugar na categoria LMP2, ganha pelo Nissan, de Karim Ojjeh, Thomas Kimber-Smith e Olivier Lombard.

A equipa de Rui Águas, no Ferrari 458, acabou por abandonar, tal como a formação de Tiago Monteiro, em Pescarolo-Judd. A única equipa portuguesa em competição, a Quifel-ASM, do piloto Pais do Amaral, já tinha desistido no sábado com o motor partido, após quatro horas de corrida, quando seguia no 10.º lugar da respetiva categoria (LMP1).