Alan foi o pesadelo do Guimarães

Foto
Ukra marcou o segundo golo do Braga

O Guimarães, que conseguiu bloquear o adversário na primeira parte, acabou a partida em sofrimento. Mas as cerca de duas dezenas de adeptos que se encontravam no estádio ainda tiveram possibilidade de festejar um golo de grande penalidade, já no tempo de compensação.

O Braga levou demasiadamente em conta o jogo da próxima quinta-feira para a Liga Europa. Se início, Domingos abriu mão de nomes importantes como Vandinho, Alan ou Paulo César e a equipa perdeu muito da sua capacidade de organização de jogo. Custódio está muito longe de ter o peso de Vandinho e retira também boa parte da competência imaginativa que Hugo Viana oferece ao futebol da equipa. A ausência de Alan, claro, também se fez sentir em demasia, até porque Hélder Barbosa fez um jogo pouco feliz e Mossoró também não teve capacidade para fazer esquecer Paulo César. São os custos de quem tem de gerir uma formação que dentro de dias joga um confronto frente ao Dínamo de Kiev que pode ser histórico.

Manuel Machado soube tirar partido destas hesitações de Domingos. Colocou em campo uma equipa que soube anular as principais pedras bracarenses. Cléber, por exemplo, não deu um metro a Hugo Viana. No resto, confiou na capacidade de Targino e Toscano de causarem mossa na defesa adversária. O primeiro teve mesmo, ainda com poucos segundos de jogo, uma excelente oportunidade para marcar. Ficou isolado. Mas Targino é um daqueles jogadores que nunca se sabe o que pode fazer: um movimento, uma finta espectacular ou um falhanço incrível. Neste lance não foi diferente. A movimentação que o deixou na cara de Artur foi notável. Mas depois demorou tanto que o remate foi interceptado por Miguel Garcia.

Na segunda parte, Domingos resolveu finalmente colocar em campo Alan e retirou o inexistente Hélder Barbosa. O brasileiro deu outra dinâmica e velocidade ao jogo, com Nilson a sentir finalmente muitos problemas (na primeira parte apenas teve uma bola no poste num remate casual de Hélder Barbosa). O primeiro sinal de que nada seria como antes aconteceu aos 49’, num livre da direita, em que a bola sofreu um ressalto e sobrou para Paulão que rematou, com Cléber a salvar em cima da linha de golo.

Aos 61’, ao terceiro canto consecutivo, Paulão surgiu a rematar para o fundo da baliza. Dois minutos depois, uma combinação entre um bom remate de Ukra e um disparate do guarda-redes Nilson destroçou os vimaranenses. E Alan ainda teve tempo (aos 76’) de cabecear para o terceiro golo. O jogo terminou com um golo vimaranense de Edgar já nos descontos, numa grande penalidade de Kaká sobre Faouzi.

Ficha de jogo

Jogo no Estádio Municipal de Braga. Assistência 25.533 espectadores

Sp. Braga

Artur Moraes 6; Miguel Garcia 6, Paulão 7, Kaká 5, Sílvio 7; Custódio 5, Hugo Viana 6 (Vandinho -, 75’), Mossoró 6; Ukra 7, Hélder Barbosa 4 (Alan 8, 46’) e Lima 5 (Meyong 6, 62’). Treinador Domingos Paciência

V. Guimarães

Nilson 4; Alex 6, João Paulo 6, N’Diaye 6, Anderson 5; Cléber 5, Renan 5 (Faouzi 5, 67), Jorge Ribeiro 4 (Rui Miguel 5, 57); Targino 6, Rafa 4 (Edgar 6, 46) e Toscano 6. Treinador Manuel MachadoÁrbitro João Ferreira 6, de Setúbal.


Amarelos Sílvio (40’), João Paulo (44’), Jorge Ribeiro (55’), Rui Miguel (66’), Anderson (79’) e Kaká (90+4’)


Golos

1-0, por Paulão, aos 61’;


2-0, por Ukra, aos 63’;


3-0, por Alan, aos 76’;


3-1, por Edgar, aos 90+4’ (g.p.)


Notícia actualizada às 23h04