Presidente do Belenenses pede a sua substituição alegando motivos profissionais

Foto
João Almeida foi eleito há menos de um ano Pedro Cunha (Arquivo)

João Pinho de Almeida anunciou a decisão através do Facebook onde referiu que a “impossibilidade de uma dedicação exclusiva” levou-o a tomar esta decisão. António Soares, vice-presidente, deverá ser o novo líder dos “azuis”

Comunicado de João Almeida:

“O Belenenses vive, de há vários anos para cá, uma situação de crise. Quando decidi candidatar-me à presidência do clube, fi-lo por entender que todos temos o dever de dar o nosso contributo para a sua salvação. Foi uma decisão pessoal que encontrou suporte na disponibilidade de uma equipa competente para a constituição das respectivas listas.

Desde o início do processo, as dificuldades foram inúmeras, obrigando a pôr tudo em causa, várias vezes. Desde a apresentação da lista ao mercado de Janeiro, passando pela inscrição da equipa de futebol nas competições profissionais, da inscrição das equipas das restantes modalidades, da situação de ruptura no Bingo e nas Piscinas, dos salários em atraso aos trabalhadores e atletas, aos demais compromissos financeiros, contratuais e desportivos.

A tudo fomos respondendo com uma enorme dose de dedicação e outra de risco, tudo em nome da paixão pelo Belenenses. Foram sendo ultrapassadas inúmeras barreiras, apesar das dificuldades.

Da minha parte, o desgaste foi-se fazendo sentir, e cada nova barreira, ainda que mais baixa parecia a mais difícil de todas. O que se explica pela impossibilidade de uma dedicação exclusiva. Necessidade que, mais do que nunca, considero essencial.

Sempre disse que continuaria enquanto me considerasse parte da solução. Neste momento, embora mantenha a disponibilidade para contribuir para as soluções, considero que a minha liderança é insuficiente para as necessidades do clube.

Por muito que esta não seja a prática, principalmente em Portugal, a minha ética da responsabilidade implica que assuma os meus compromissos de forma exigente e tire consequências das minhas limitações.

As instituições ficam, enquanto as pessoas passam. O Belenenses é muito mais importante que a circunstância de ser presidido por uma ou outra pessoa. E neste momento o Belenenses precisa de um Presidente que possa dedicar-se de forma exclusiva. Que como é sabido, apesar de todo o esforço, não é nem nunca pode ser o meu caso.

Não me revejo em falsas modéstias, pelo que, afirmo que gosto de ser Presidente. Mas gosto muito mais do Belenenses.

Penso que a melhor solução é, ao abrigo dos Estatutos, designar um Vice-Presidente para me substituir neste impedimento. O Eng. António Soares, é o Vice-Presidente que pode dar resposta positiva a este enorme desafio, dando ao Belenenses o que o clube agora precisa. Tudo isto, com o apoio da actual equipa dirigente, assegurando a estabilidade directiva imprescindível, neste momento.

Informei, nesta data, os Senhores Presidentes da Assembleia Geral, Conselho Fiscal e Conselho Geral do meu impedimento para o exercício das funções de presidente do clube e da consequente designação do Vice-Presidente substituto.

Tenho orgulho no que fizemos até agora. Não é o momento para fazer essa avaliação, mas quando for, será evidente a importância do trabalho realizado.

Estou certo que, daqui para a frente, com a alteração agora decidida, podemos ir mais longe.

Agradeço a todos com quem trabalhei durante estes oito meses e meio, com especial destaque para os Vice-Presidentes do Clube e Administradores da SAD, de cuja competência e solidariedade muito beneficiei.

A última palavra vai, como é da maior justiça, para os sócios do clube. Beneficiei do seu apoio e carinho, como não me lembro de um Presidente ter beneficiado. Dei o melhor de mim para retribuir, com trabalho, esse privilégio. No entanto, neste momento, o que podia dar ficava aquém do que era exigível, pelo que, ficar seria abusar de um apoio que deixaria de merecer. Agradeço o vosso apoio que, se me permitirem, peço que transmitam para os grandes dirigentes que continuarão a conduzir o clube.”