Reserva de luxo alcança primeira vitória em França

Foto
Postiga marcou o segundo e decisivo golo do Sporting ao Lille Foto: Pascal Rossignol/Reuters

E pode falar-se em revolução porque Paulo Sérgio apenas utilizou André Santos e Carriço das suas habituais escolhas. O caudal de mudanças foi tal que o argentino Torsiglieri e a jovem promessa Diogo Salomão fizeram inclusive a sua estreia em provas oficiais. Em todo o caso, a surpresa foi positiva. Abel e Vukcevic transcenderam-se: o lateral defendeu sempre com eficácia e participou nas acções ofensivas de uma forma acutilante; o montenegrino, na primeira parte, não só soube atacar como foi irrepreensível nas compensações defensivas. Torsiglieri iniciou o jogo nervoso (aos 12’, Paulo Sérgio colocou Evaldo a aquecer), mas tranquilizou-se e mostrou muita qualidade, mesmo na posição de lateral esquerdo.

O segundo golo do Sporting, de resto, numa altura em que o Lille começava a levantar a cabeça, deve-se muito a este argentino de 22 anos. Torsiglieri recuperou uma bola, deixou um punhado de adversários pelo caminho e colocou em Abel, que tirou um cruzamento para a área. Aí, surgiu Hélder Postiga a saltar mais alto que toda a defesa e a bater Landreau.

Postiga esteve em bom plano e até podia ter arrancado o cartão vermelho a Rami quando este o travou em falta, aos 7’, numa altura em que estava isolado. Valeu, na altura, aos franceses o mau trabalho do árbitro Martin Atkinson que se ficou por um amarelo. A estreia de Diogo Salomão também não desiludiu. A jovem promessa teve alguns pormenores agradáveis e outros notáveis, como o que aconteceu, aos 48’, quando tirou Debuchy do caminho, passou por outro adversário e rematou junto ao poste. A grande estrela, contudo, foi Zapater. O espanhol é daqueles jogadores que oferecem qualidade extra ao meio campo, tanto em termos defensivos como ofensivos. Foi ele quem colmatou até algum desacerto de André Santos.

Mas a entrada do Sporting em campo surpreendeu de tal maneira que o primeiro golo surgiu de forma natural. Aconteceu aos 10’, em mais uma jogada pela direita de Abel, que soube tirar vantagem das debilidades do lateral Vandam, para arrancar um cruzamento, com André Santos a dar um toque e Vukcevic a fazer o golo. O Lille foi uma equipa reduzida a pó. Sem espaço, sem bola, sem iniciativa, muito por culpa da boa exibição do espanhol Zapater, e incapaz de fazer funcionar o seu ataque perante uma defesa onde Carriço é cada vez mais imprescindível.

A equipa francesa só se viu depois da entrada (37’) do jovem prodígio belga Eden Hazard. Tem apenas 19 anos, mas muito futebol e com ele a equipa transfigura-se. Foi dele o remate que Tiago (mal) defendeu para a frente e que permitiu o 1-2 a Frau, golo que recolocou a equipa francesa em jogo. Isto numa altura (57’) em que muitos dos jogadores do Sporting já pouco ou nada tinham para dar. Mas tinham o suficiente para segurar a vitória.

Ficha de jogo

Lille,


1

Sporting,


2

Jogo no Estádio Lille Metrópole, em Lille.

Lille

Landreau, Debuchy, Rami, Rozehnal, Vandam (Emerson, 39), Mavuba (Cabaye, 73), Gervinho, Dumont (Hazard, 39), Balmont, Obraniak e Frau.

Sporting

Tiago, Abel, Carriço, Polga, Torsiglieri, Zapater, André Santos, Vukcevic (João Pereira, 73), Hélder Postiga, Diogo Salomão (Evaldo, 82) e Saleiro (Nuno André Coelho, 92).

Árbitro

Martin Atkinson (Inglaterra).

Amarelos

Rami (8’), Torsiglieri (10’), Vukcevic (46’), Carriço (48’), Debuchy (75’), Polga (85’).

Golos

0-1, por Vukcevic, aos 11’; 0-2, por Postiga, aos 34’ e 1-2, por Frau, aos 57’.

Notícia actualizada às 22h38