Liga Europa

E não é que o Sporting conseguiu mesmo continuar na Europa

Evaldo marcou o primeiro golo da reviravolta "leonina"
Foto
Evaldo marcou o primeiro golo da reviravolta "leonina" DR

O Sporting deu a volta à eliminatória e qualificou-se para a fase de grupos da Liga Europa após derrotar o Brondby por 3-0, na Dinamarca.

O forte abraço que uniu José Eduardo Bettencourt e Costinha no final da partida foi revelador do feito que a equipa de Alvalade acabara de alcançar na Dinamarca. De seguida, o presidente e o director para o futebol repetiram o gesto com os jogadores no relvado. Três golos sem resposta dos “leões” no campo do Brondby provaram que a missão de recuperar de uma desvantagem de 2-0 trazida de Lisboa, ainda que difícil, não era impossível. O Sporting conquistou o bilhete para o sorteio da fase de grupos da Liga Europa.

Se a histórica passagem do Sp. Braga à fase de grupos da Champions poderia servir de inspiração ao Sporting no jogo na Dinamarca, também a passagem do FC Copenhaga à competição milionária, na véspera, ao eliminar o Rosenborg, colocava a fasquia alta para o Brondby, que não queria ficar diminuído face ao feito do seu grande rival da capital, com quem discute o protagonismo na UEFA.

Para os “leões” não havia meio-termo: ou alcançava o céu, emendando o resultado de Alvalade, ou descia ao inferno, com um precoce e humilhante afastamento das competições europeias, aos pés de um adversário acessível, como ontem se veio a confirmar. Para gáudio dos adeptos leoninos, a equipa soube sofrer, esperar e acima de tudo, desta vez, marcar, embora tivesse sido necessário esgotar todo o tempo regulamentar da partida para garantir a vitória.

O primeiro golo, surgiu nos descontos da primeira metade; o terceiro, no tempo extra da segunda parte. Pelo meio, um “frango” do guarda-redes dinamarquês deixou a eliminatória empatada. Tal como desejara na véspera o treinador Paulo Sérgio, a sorte inverteu-se e bafejou, desta feita, os portugueses.

Se na primeira mão, os postes e uma boa exibição do guarda-redes nórdico deixaram os “leões” em branco e com dois golos para recuperar nos escassos remates que o Brondby fez à baliza de Rui Patrício, agora até o dono das redes dinamarquesas ajudou à festa, ao deixar passar entre as mãos e para dentro da baliza a bola disparada de longe por Nuno André Coelho. Voltava tudo ao princípio, com um quarto-de-hora para jogar.

Se a esperança crescera com o golo de cabeça de Evaldo, na sequência de um livre de André Santos, a anteceder o apito para o descanso, agora tudo ficava mais fácil. Mas antes, os lisboetas sofreram a bom sofrer com a reacção da equipa da casa, que só não marcou, por falta de pontaria e pelos reflexos de Rui Patrício.

A cereja em cima do bolo da boa exibição leonina, estava reservada para um “chapéu” fabuloso de Djaló, quando a lógica já apontava para o prolongamento.

POSITIVONuno A. Coelho/Evaldo

Grande partida do primeiro, com classe a defender, determinação a atacar e um golo de grande efeito. Com os avançados ainda fora de forma, valeram os defesas para abrir as portas da Liga Europa.


Paulo Sérgio

“Sim, nós podemos”, acreditava o técnico na antecipação do encontro, ao mesmo tempo que pedia serenidade e equilíbrio aos seus jogadores. A mensagem passou.


Rui Patrício

Uma grande defesa, manteve a equipa no rumo do sonho.


NEGATIVOBrondby

Ainda não sabe muito bem como foi atropelado na sua própria casa. No futebol, ficou mais uma vez provado que a festa só se faz no fim.


Ficha de jogo

Jogo no estádio do Brondby, em Copenhaga.Assistência 20.889 espectadores.
Brondby
Andersen 3, Wass 5, Bischoff 4, Von Schlebrugge 4, Rasmussen 5, Jensen 4, Nilsson 4, Larsen 4, Krohn Dehli 4, Kristiansen 4 e Jallow 4 (Bruno Batata -, 77’). Treinador Henrik JansenSporting
Rui Patrício 8, Abel 6, Carriço 6, Nuno André Coelho 8, Evaldo 7, André Santos 7, Maniche 7, Djaló 8, Vukcevic 6 (Valdés -, 84’), Hélder Postiga 5 (Matias 5, 67’) e Liedson 6 (Saleiro -, 90+3’). Treinador Paulo Sérgio

Árbitro

Jiri Jech 4, da República Checa.

Amarelos

Liedson (44’) e Bischoff (45’).

Golos

0-1, por Evaldo, aos 45+1’; 0-2, por Nuno André Coelho, aos 75’ e 0-3, por Djaló, aos 90+1’.

Notícia actualizada às 21h41