Presidente da Liga diz que Comissão de Disciplina de Ricardo Costa não era competente

Foto
Fernando Gomes quer mais discrição nas comissões de Disciplina e Arbitragem nFactos/Fernando Veludo (arquivo)

“Passámos um período conturbado, muito mais na disciplina do que na arbitragem, foi essa a minha percepção relativamente ao convite ou não convite às pessoas que presidiam a esses conselhos. Não me parece que devamos colocar ao mesmo nível o Vítor Pereira e o Ricardo Costa e por isso mesmo convidámos o Vítor Pereira e não convidámos o Ricardo Costa”, disse Fernando Gomes, em entrevista à Lusa.

Com cautela nas palavras, mas sem rejeitar o tom crítico para com o trabalho da anterior Comissão Disciplinar, o presidente da Liga reclama para a arbitragem e disciplina discrição.

“Aquilo que desejamos é que as respectivas comissões funcionem adequadamente, sem grande protagonismo, exercendo as suas competências e as suas atribuições de uma forma equilibrada, imparcial, isenta e que, acima de tudo, não sejam factores de geração de polémica numa competição equilibrada e equidistante relativamente aos regulamentos e a todos os clubes”.

De Ricardo Costa, presidente da anterior Comissão Disciplinar com diversas decisões polémicas sobre o FC Porto, clube de que Fernando Gomes foi administrador até Fevereiro deste ano, o presidente da Liga faz uma avaliação claramente negativa e até diz que esse era um sentimento “generalizado” entre os clubes profissionais.

“Ao longo dos diversos contactos que tive com os todos clubes aquando do processo da minha candidatura havia a ideia generalizada que efectivamente o tempo do dr. Ricardo Costa à frente da Comissão Disciplinar não foi um tempo positivo em termos daquilo que tem de ser a justiça do ponto de vista factual, concreto e objectivo de equidistância e de não grande exposição. A justiça deve ser célere, deve ser competente, deve ser rápida, e nesse aspecto creio que se deram passos significativos, mas também deve ser equilibrada e recatada. Nessa perspectiva, o sentimento que fui tendo dos próprios clubes é que havia a ideia generalizada de que essa comissão não teria competência e que não deveria continuar”.

Bem diferente é a opinião sobre o juiz Herculano Lima, a quem ressalta a experiência de julgar: “É uma pessoa extremamente séria e equilibrada e também com experiência de julgamento. Um juiz conselheiro tarimbado. Esse equilíbrio e experiência de julgar é muito importante para quem está à frente de uma Comissão Disciplinar. Estou convicto que grande parte das polémicas que assistimos no passado provavelmente deixará de existir”.

Outras revelações de Fernando GomesApostas

Reivindica a legalização das apostas desportivas em Portugal e quer a Santa Casa como parceiro, porque esta é uma das poucas áreas em que as receitas podem crescer.

"É um mercado que poderá valer cerca de 400 milhões de euros. A Santa Casa tem de ser um parceiro. Tem o monopólio dos jogos sociais e tem uma intervenção direta nesta área. Isto terá que ser numa perspetiva global ao nível dos ministérios da Economia, Finanças, do Trabalho e Segurança Social e da Santa Casa e naturalmente também com a secretaria de Estado do Desporto, que não pode deixar de ser interventiva neste processo"

Taça da Liga

Patrocinador será revelado em breve e prémio monetários manter-se-ão “ao nível dos dois últimos anos”.

Canal televisivo da Liga

“A criação de um canal na plataforma ZON multimédia é onde claramente queremos intervir, mas condicionados à matriz contratual e aos acordos existentes, que na maioria dos casos vão até 2016/17. Não deixaremos de intervir no interesse da Liga e no interesse dos próprios clubes”.

Remuneração como primeiro presidente profissional da Liga

“As alterações aos estatutos serão submetidas muito brevemente a Assembleia Geral e a partir dessa altura é que estarão criadas as condições para que haja um presidente profissional e serão fixadas as condições através de uma Comissão de Vencimentos tanto para o presidente como para a Comissão Executiva”.

Taça Ibérica

"“Ainda estava no período de candidatura quando tive oportunidade de trocar impressões com o presidente da liga espanhola. Vamos continuar a desenvolver contactos com o objectivo de concretizar uma ligação ibérica. Não sabemos ainda se um jogo entre os campeões ou se também os vencedores das respectivas taças."

Futura candidatura à presidência do FC Porto

Fernando Gomes responde "nim". "Neste momento a minha ambição é quatro anos de presidente da Liga de clubes, tornar a Liga forte, cada vez mais sustentada e ajudar os 32 clubes a serem mais viáveis. É este o meu objetivo para estes quatro anos”.