Federação argentina oficializa saída de Maradona

Foto
Acabaram os tempos dos sorrisos para Maradona e a federação argentina Foto: David Mo/Reuters

Segundo a imprensa argentina, Diego Armando Maradona deixou a selecção depois de ter dirigido a equipa durante a etapa final da qualificação e o Mundial da África do Sul 2010.

O diário “Olé” avança que Julio Grondona, presidente da AFA, não aceitou as condições do técnico e Maradona abandonou a reunião, pondo um ponto final à passagem rápida pela “albiceleste”. O antigo jogador queria continuar com a sua equipa técnica, mas Grondona queria prescindir de sete dos seus adjuntos, entre eles um ajudante de campo e um médico.

"Não ha mais nada a falar. Não me conhece? Se me tira um adjunto, amanhã terá de ir procurar outro seleccionador”, terá dito Maradona, citado pelo jornal argentino, depois de Grondona ter dito que não queria o adjunto, o massagista e o médico porque estes, segundo o presidente da AFA, são “demasiado amigos dos jogadores”.

A Federação Argentina de Futebol (AFA) decidiu, mais tarde nesta terça-feira, não renovar o contrato de Maradona à frente da selecção “albiceleste”. “O comité executivo da AFA decidiu por unanimidade não renovar o contrato com Diego Maradona como treinador principal da selecção argentina”, declarou o porta-voz daquele organismo, Ernesto Cherquis Bialo, em conferência de imprensa.

Maradona, no cargo desde Outubro de 2008, será substituído provisoriamente pelo treinador da selecção de sub-20 argentina, Sérgio Baptista, que irá orientar o próximo encontro particular contra a Rep. Irlanda, no dia 11 de Agosto em Dublin.

Notícia actualizada às 22h58