Futebol

Laurentino Dias reconhece que processo a Carlos Queiroz contém “factos graves”

O secretário de Estado da Juventude e do Desporto, Laurentino Dias, reconheceu este sábado que o inquérito instaurado a Carlos Queiroz, por insultos a uma brigada antidopagem, contém “factos graves”.

“Os factos que contavam da participação eram suficientemente graves para abrir um inquérito e despachá-lo para a Federação Portuguesa de Futebol (FPF)”, comentou Laurentino Dias, à margem da inauguração do Centro de Alto Rendimento do Jamor para o atletismo, no Estádio Nacional.

Entregue o processo à FPF, Laurentino Dias delega agora no organismo máximo do futebol português outras apreciações sobre o caso, deixando a garantia que, da sua parte, tomou as decisões “em defesa e protecção dos agentes que intervêm em nome do Estado em missões de interesse e serviço público. Como sempre fiz, e farei, haverá sempre cuidado, respeito, protecção e defesa daqueles que trabalham numa missão difícil, que é o combate contra o doping”, sublinhou Laurentino Dias.

Também presente na mesma cerimónia, o ministro da Presidência, Pedro Silva Pereira, referiu apenas que o inquérito “está em curso” e que o Instituto do Desporto de Portugal (IDP) “dará notícias sobre o desenvolvimento deste processo”. “Não fico surpreendido, nem deixo de ficar”, limitou-se a comentar Pedro Silva Pereira.

Carlos Queiroz terá insultado uma brigada enviada pela Autoridade Antidopagem de Portugal para um controlo inopinado a alguns jogadores da selecção, numa altura em que a equipa estagiava na Covilhã para preparar a participação no Mundial 2010, que decorreu na África do Sul.