Ministério Público

Buscas estendem-se a quatro escritórios que participaram na compra de submarinos

Num desses escritórios de advogados - Vasco Vieira de Almeida e Associados - estão cerca de dez investigadores
Foto
Num desses escritórios de advogados - Vasco Vieira de Almeida e Associados - estão cerca de dez investigadores Enric Vives-Rubio (arquivo)

As buscas efectuadas no âmbito da investigação sobre a aquisição de dois submarinos U-214 pelo Estado português a um consórcio alemão estão a decorrer em quatro escritórios de advogados, disse fonte ligada ao processo.

Num desses escritórios de advogados - Vasco Vieira de Almeida e Associados - estão cerca de dez investigadores, acompanhados por um magistrado e por um representante da Ordem dos Advogados, adiantou a fonte. Naquele edifício, as buscas centram-se no rés-do-chão, onde os investigadores procuram documentação relativa ao processo de aquisição dos submarinos.

Anteriormente, uma fonte daquele escritório de advogados havia dito que investigadores do Ministério Público, acompanhados pelo juiz Carlos Alexandre, estão desde as 10h30 na sede da Vasco Vieira de Almeida & Associados, no âmbito de uma investigação relacionada com um concurso público.

Rita Varão, daquele escritório de advogados, confirmou as diligências do Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP), afirmando que estão a ser ouvidos todos os advogados que prestaram assessoria jurídica a um cliente que integrou um consórcio internacional participante num concurso público.

A mesma fonte disse não estar autorizada a revelar o nome do cliente nem o concurso público, referindo que a investigação à empresa que integrou o consórcio está a decorrer simultaneamente em vários escritórios de advogados. “Estão apenas a recolher documentos e a ouvir os advogados”, acrescentou.

A notícia foi avançada pela “Sábado”, segundo a qual a operação do Ministério Público decorre também no escritório de advogados Sérvulo & Associados. O escritório Sérvulo & Associados escusou-se a confirmar a presença de investigadores do Ministério Público, remetendo para mais tarde um comunicado.

Entretanto, a Lusa apurou que um dos advogados da Sérvulo & Associados transitou há tempos para a sociedade Uria Menendez, que, contactada, escusou-se a confirmar a realização de qualquer busca, dizendo “não ter nada a acrescentar”. Segundo a edição online da revista “Sábado”, a operação das autoridades está relacionada com “suspeitas de corrupção, tráfico de influências e financiamento ilegal de partidos políticos no processo de aquisição dos dois submarinos U-214 adquiridos pelo Estado português ao Germain Submarine Consortium (GSC)”.