Benfica

Jorge Jesus: “Jogadores vão jogar o dobro ou mais do que no ano passado”

Jorge Jesus foi esta noite apresentado na Luz
Foto
Jorge Jesus foi esta noite apresentado na Luz Carlos Manuel Martins

Há pouco mais de um ano o Benfica tinha apresentado um novo treinador. Quique Flores era espanhol, tinha 43 anos, conhecia mal o futebol português, partia para a sexta época como técnico e destacava-se por ser bem falante. Hoje, na hora de apresentação de Jorge Jesus, percebeu-se que começa um novo ciclo, com um português, de 54 anos, profundo conhecedor do futebol nacional, a começar a 21.ª temporada como treinador e mais conhecido pelos dotes tácticos do que pelo dom da palavra.

E as diferenças não se ficam por aqui. Há um ano, Quique prometeu pouco e colocou a participação na Liga dos Campeões como primeiro objectivo. Jorge Jesus foi completamente diferente. Entrou na Luz cheio de confiança, a fazer lembrar José Mourinho quando chegou ao FC Porto ou ao Chelsea. O ex-treinador do Braga definiu como objectivo ser campeão.

“Vou ser o 63.º treinador. Quero fazer parte da história do Benfica, quero ganhar títulos”, começou por dizer, garantindo que se mudou para a Luz “não por questões económicas”, mas por causa do “projecto desportivo.”

“Vim para o Benfica com a certeza e convicção que vou ser campeão nesta casa. Esta é a minha primeira ideia”, explicou Jesus, que se apresentou envergando uma gravata vermelha.

A segunda ideia forte surgiu um pouco mais tarde, quando o PÚBLICO lhe perguntou o que poderia acrescentar ao plantel do Benfica: “Posso acrescentar o meu conhecimento e as minhas ideias. Tenho a consciência de que o Benfica tem excelentes jogadores em termos individuais. E como faço em todos os clubes por onde passo, os jogadores do Benfica para o ano vão jogar o dobro do que jogaram no ano passado. E o dobro, se calhar, é pouco.”

Uma frase forte e que mostra a super-confiança do novo comandante do Benfica, algo que gerou sorrisos do presidente Luís Filipe Vieira durante a apresentação do homem que assinou contrato por duas épocas e mais uma de opção.

E como vai ser a equipa de Jesus? “Quero um Benfica a jogar dentro de uma filosofia que tem caracterizado as equipas onde tenho trabalhado”, respondeu o técnico.

Jesus foi ainda confrontado com o parco registo de treinadores portugueses no clube, já que apenas Fernando Cabrita, Mário Wilson e Toni se sagraram campeões. “Sei que só três foram campeões, mas também só vou ser o 18.º [campeão]”, disse aquele, escolhido, precisamente porque é português e pelo que tem feito nas últimas épocas, explicou Rui Costa, director desportivo do clube. “Espero que tenha o mesmo crédito que um estrangeiro”, pediu o director desportivo.

Jesus deixou também claro que o plantel do Benfica é o plantel de Rui Costa. Só agora começará a sugerir nomes. Por isso, não quis confirmar se o guarda-redes Eduardo é pretendido, mas garantiu conhecer “muito” dos três reforços já garantidos: Patric e Shaffer e Ramires.

O novo treinador ainda não sabe se poderá contar com Reyes, um jogador de quem o Benfica possui 25 por cento do passe. Rui Costa assegurou que o clube tentará ficar com o espanhol, mas “sem entrar em loucuras.”

Jesus chega à Luz acompanhado por Raul José (“o treinador dos avançados”), Miguel Quaresma (“o treinador dos defesas”) e Mário Monteiro (“o chamado preparador físico”), ao que serão acrescentados mais dois elementos. Não quis confirmar se serão Chalana e Diamantino, dois adjuntos marginalizados por Flores. Certo é que Jesus, “confiante e orgulhoso”, está “desejoso de um Benfica forte.” Todos sabem como acabou a história de Mourinho e de Quique. Agora falta saber como terminará a odisseia de Jesus.

Notícia actualizada às 22h58