Falta de polícias e esquadras sem condições na Madeira

Peixoto Rodrigues, após uma reunião no Funchal com o secretário regional do Ambiente e Recursos Naturais, Manuel António Correia, disse ter solicitado que o Governo Regional da Madeira "exerça pressão" junto do Executivo da República para resolver aqueles problemas.

Sustentou que o Governo madeirense tem todo o interesse em ver aqueles problemas resolvidos porque "são aspectos que estão relacionados com a garantia de mais e melhor segurança para a Madeira, duma Região que vive essencialmente do turismo", apesar da resolução depender do Ministério da Administração Interna.

Peixoto Rodrigues revelou que, nas visitas que efectuou às esquadras do Arquipélago, detectou que quatro instalações funcionam em "condições preocupantes" - casos da Ponta do Sol, S.Vicente, Porto Santo e Santa Cruz.

Referiu que a situação de S.Vicente está em vias de solução, uma vez que foi anunciada a sua transferência a 6 de Julho para o edifício do centro de saúde daquele Concelho.

No caso da Ponta do Sol, recordou que os técnicos do Laboratório Nacional de Engenharia Civil "já aconselharam o seu encerramento por não oferecer condições de segurança" e, apesar da Câmara Municipal ter "disponibilizado o terreno e existir um projecto, tudo está pendente da decisão do Ministério da Administração Interna".

"Faltam efectivos no Comando Regional da Madeira que devia ser reforçado com mais 150 elementos. Existem problemas ao nível das viaturas, deficiências em termos de material de ordem pública (bastões, viseiras e capacetes), além de falta de coletes anti-bala", mencionou.

O sindicalista realçou ainda que os agentes na Madeira não dispõem de armas novas, "as que existem estão desactualizadas, têm entre 40 e 50 anos".

Sugerir correcção
Comentar