Portuguesa viveu até aos 115 anos

Morreu Maria de Jesus, a mulher mais velha do mundo

Foto
João Henriques(arquivo)

Maria de Jesus, a mulher mais velha do mundo, morreu hoje, aos 115 anos de idade. A idosa de aldeia do Corujo, no concelho de Tomar, tornou-se célebre em Novembro do ano passado, quando o Livro Guinness dos Recordes concluiu ser ela a pessoa mais idosa do planeta.

Um familiar adiantou à Lusa que a idosa morreu esta manhã, quando era transportada de ambulância para o Hospital de Tomar, para ser assistida a um “ligeiro inchaço” detectado pouco antes.

A "supercentenária" vivia com a filha Maria Madalena, já com 84 anos, na aldeia de Corujo, e até há poucos anos era ainda auto-suficiente. Em Novembro, em declarações ao PÚBLICO, Maria Madalena atribuía a longevidade da mãe aos hábitos frugais e ao facto de ela “nunca ter bebido álcool nem café”.

Com a morte da norte-americana Edna Parker, a 26 de Novembro, a portuguesa tornou-se a mulher mais velha do mundo, uma atribuição que chegou numa altura em que se encontrava já bastante debilitada.

Nascida a 10 de Setembro de 1893, na aldeia de Urqueira (Ourém), Maria de Jesus viveu em três séculos diferentes, tendo assistido a grandes transformações no país e no mundo. A sua vida, contudo, confunde-se com a de muitos dos seus contemporâneos, com uma infância e juventude marcada pelas dificuldades económicas, tendo trabalhado durante toda a vida na agricultura.

Do casamento com José dos Santos, de quem ficou viúva aos 57 anos, teve seis filhos (três deles ainda vivos), dos quais tinha 11 netos, 16 bisnetos e três trinetos. A cada aniversário, a vasta família de Maria de Jesus juntava-se no Corujo, uma festa mais concorrida desde que a idosa se juntou ao restrito grupo de “supercentenários” (pessoas que ultrapassam os 110 anos).

Sugerir correcção