“Belle Toujours” era o candidato nacional

Manoel de Oliveira fora das nomeações para Óscar de Melhor Filme Estrangeiro

A língua portuguesa está representada, com “O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias", do brasileiro Cao Hamburger
Foto
A língua portuguesa está representada, com “O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias", do brasileiro Cao Hamburger DR (arquivo)

Portugal continua este ano excluído das nomeações para candidato à fase final de Óscar para Melhor Filme Estrangeiro. O filme candidato, “Belle Toujours”, de Manoel de Oliveira, não está na lista de nove finalistas ontem divulgada, do qual sairá no próximo mês o premiado.

A língua portuguesa está no entanto representada, com “O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias” (“The Year My Parents Went on Vacation”), do realizador brasileiro Cao Hamburger.

Há ainda outros oito filmes na corrida, de outros tantos países, escolhidos de entre as 69 obras que se qualificaram para a edição deste ano dos Óscares, a 80º, cujos vencedores serão conhecidos a 24 de Fevereiro na tradicional cerimónia de Hollywood – se a gala deste ano não for afectada pela greve de guionistas nos EUA. A cerimónia dos Globos de Ouro, na semana passada, foi cancelada e reduzida a uma conferência de imprensa.

Os outros nomeados são “The Unknown Woman”, do realizador italiano Giuseppe Tornatore; “12,” do russo Nikita Mikhalkov; ou “Days of Darkness”, do canadiano Denis Arcand, estão também entre os finalistas. Bem como “Katyn,” de Andrzej Wajda (Polónia).

Os restantes são “The Counterfeiters”, de Stefan Ruzowitzky, (Áustria); “Beaufort”, de Joseph Cedar (Israel), “Mongol,” Sergei Bodrov (Cazaquistão), e “The Trap” de Srdan Golubovic (Sérvia).

Portugal nunca foi nomeado

As nomeações da Academia das Artes e Ciências Cinematográficas foram reveladas ontem, num comunicado publicado na Internet.


Portugal nunca foi nomeado para a fase final da corrida ao Óscar de Melhor Filme Estrangeiro. A escolha do filme português foi feita por uma comissão de selecção nomeada pelo Instituto do Cinema e do Audiovisual, de acordo com regras definidas pela Academia de Hollywood.

A comissão integrou representantes das principais actividades do sector e escolheu entre os filmes portugueses estreados de 1 de Outubro de 2006 e 30 de Setembro de 2007.

A França é a recordista das nomeações para melhor filme estrangeiro, com 39 até 2006 (ano até ao qual a Academia tem estatísticas compiladas), mas a Itália, em segundo lugar, com 27 nomeações, obteve mais vitórias, com dez Óscares, face a nove da França.

Nas posições seguintes, ainda por nomeação, surgem a Espanha, com 19 (e quatro Óscares), a Suécia, com 14 (três Óscares) e o Japão, com 11 mas sem ter conquistado nenhuma estatueta dourada nesta categoria.