Se o Tribunal Administrativo não desimpedir participação no escalão

Gil Vicente admite emprestar juniores

Na sequência do caso Mateus, as camadas jovens gilistas foram suspensas pela FPF
Foto
Na sequência do caso Mateus, as camadas jovens gilistas foram suspensas pela FPF João Abreu Miranda (Lusa)

O Gil Vicente admitiu hoje emprestar alguns jogadores juniores, caso o Tribunal Administrativo indefira a acção interposta contra a decisão da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) de impedir a participação do clube no campeonato do escalão.

Segundo Miguel Henriques, do departamento juvenil do clube, "se houver luz verde, esta semana, do Tribunal o clube volta à competição júnior, mas, se assim não for, terão de ser tomadas medidas que salvaguardem o futuro dos atletas".

"Há jogadores que estão no último ano de juniores, e cuja progressão na carreira de futebolista foi posta em causa pela decisão federativa, já que aspiram a jogar em equipas seniores", referiu, sustentando que "alguns adiaram a entrada num curso universitário para apostarem na careira futebolística e agora não podem jogar".

O dirigente gilista falava à agência Lusa no final da reunião que manteve com o presidente da Câmara de Barcelos, o social-democrata Fernando Reis, e na qual participaram, ainda, o dirigente António Linhares, e os atletas juniores Hélder Rodrigues e Óscar Gonçalves.

Hélder Rodrigues, capitão da equipa de juniores do clube de Barcelos, disse que os jogadores se sentem "desiludidos e frustrados" e temem ser prejudicados na sua progressão para os seniores por não estarem a jogar.

"Estar parado é péssimo para a nossa evolução", insistiu Hélder Rodrigues.

Os juniores estão solidários com a direcção do clube, presidida por António Fiúza, e aguardam as decisões que esta venha a tomar, nomeadamente sobre a possibilidade de empréstimo a outros clubes, "de preferência que joguem no campeonato nacional".

"Andamos nisto desde miúdos e agora querem empatar os nossos sonhos", lamentou o atleta, acusando o organismo federativo de "falta de sensibilidade" por estender o castigo às camadas jovens do clube, incluindo aos iniciados.

Nessa situação, e dado que o clube tem outra equipa de iniciados a jogar nos campeonatos distritais de Braga, "as duas equipas rodam os jogadores, para que nenhum fique parado".

No encontro com o autarca, os dirigentes e atletas fizeram o ponto da situação sobre as consequências da suspensão para as camadas jovens – onde militam 300 atletas – tendo recebido "total solidariedade" e a garantia de "que o município continuará a desenvolver todos os esforços para tentar inverter a situação".

O presidente da autarquia deixou, também, "a promessa de que a formação de atletas será apoiada por fundos municipais, no quadro legal, como tem sucedido até aqui" e dispôs-se a ajudar, com os meios logísticos possíveis todas as camadas jovens da colectividade".

A FPF decidiu suspender das competições por si organizadas as equipas dos escalões jovens do Gil Vicente, no âmbito do caso Mateus, depois de o clube de Barcelos ter recorrido aos tribunais comuns.